Tag Archive: festa


champanhe-estourando

Todos já estamos acostumados com a clássica visão da celebração do Ano Novo: Vários fogos de artifício, shows e a famosa contagem regressiva nas principais cidades do Mundo (Nova York, Sydney, Rio de Janeiro…). Entretanto, nem todos os lugares celebram assim. Em algumas regiões específicas, os costumes podem adicionar muita variadade na celebração. Aproveite o clima de comemoração e conheça algumas tradições (estranhas) em outros países e comemore na próxima vez que for viajar!

Irlanda – Folhas de visco são colocadas no travesseiro

folhas-de-visco

As mulheres solteiras na Irlanda esperam para a noite de Ano Novo para aguardar a chegada do seu amor verdadeiro. As folhas de visco é colocada embaixo do travesseiro na esperança que no próximo ano seja possível encontrar seu futuro marido. Além disso também acredita-se que o visco ajuda a se livrar do azar. Detalhe que o visco também é usado na cultura norte americana (simbolizando um beijo para o casal que estiver presente abaixo da planta).

Dinamarca – Quebra de pratos (na porta dos vizinhos)
pratos-quebrados-dinamarca

Nessa época do ano, quebrar pratos, copos, vidros e outros utensílios de cozinha na porta dos vizinhos (estranhamente) os deixam contentes: A família com o mais número de objetos quebrados é considerada com mais sorte por ter os amigos mais leais.

México – Conversas com espíritos
mexico-celebracao-espiritos

No México, conversar com espíritos já faz parte da cultura e costumes locais: Os mexicanos acreditam fielmente que podem se comunicar com a alma dos seus entes queridos (Sua celebração, o Dia dos Mortos é comemorado em 2 de Novembro). A Noite de Ano Novo é considerada a melhor época para se comunicar com aqueles que já se foram para transmitir uma mensagem pedindo por orientação. Essa prática não é feita em casa, ou individualmente: vários estabelecimentos oferecem “sessões” de comunicação com a espiritualidade e meditação.

Filipinas – Formas redondas nas roupas e comida
circulos-bolinhas-roupas

A regra no Ano Novo é usar tudo que possa ser redondo: As ruas ficam cheias de pessoas usando roupas com estampas de bolinhas ou qualquer outra forma circular. Além disso, as refeições são compostas por frutas e ingredientes com formatos redondos. Os locais acreditam que isso irá trazer prosperidade, pois eles associam as formas arredondadas com moedas e riqueza.

Escócia – Festival de fogo
Hogmanay-Festival-escocia

O Hogmanay Festival, um perigoso festival que ocorre sempre no último dia do ano, envolve uma passeata de várias pessoas que cruzam as ruas segurando bastões com bolas de fogo. Elas ficam girando os bastões várias vezes sobre a cabeça para trazer purificação e iluminação. De acordo com os locais, essa celebração é quase tão antiga quanto os vikings (por esse motivo o festival é celebrado de forma temática, com várias tradições e cantorias).

Alemanha – O mesmo programa de tv todos os anos
dinner-for-one-seriado

Para quem achava que o Brasil era o único país com suas programações de tv repetidas (com os mesmos shows de Roberto Carlos todo ano), a Alemanha possui um equivalente (ou quase). Já é costume no país assistir o mesmo programa de tv em toda noite de Ano Novo. O “Dinner for One” é um sketch  humorístico inglês desenvolvido para o teatro, e mais tarde lançado na tv em 1963, que conta a história de uma senhora que tem o mesmo tipo de jantar todo ano. Na Alemanha, virou costume assistir desde 1972, e não parou desde então (virando um programa praticamente integrado nos horários de vários canais de televisão).

Holanda – Canhões de balde de leite
canhão-escocia-ano-novo

Uma vez por ano, vários holandeses enchem baldes de leite com carboneto e água, martelam a tampa (selando o balde) e esquentam com uma tocha. A mistura química resulta num “canhão caseiro” que explode para celebrar o Ano Novo. O ritual foi criado antigamente para espantar maus espíritos e foi mantido desde então.

Fontes:
Smashing Lists
Cracked

Anúncios

Luau hawaii por do sol

O Luau é um evento sempre relacionado ao Hawaii. Hoje considerado um acontecimento puramente turístico (não deixe de viajar sem presenciar essa festa!), já sofreu muitas reformulações desde suas antigas origens, da época dos viajantes Polinésios. Confira 6 fatos que tornam esse evento ainda mais curioso:

1 –  “Luau”não significa “Festa”

Luau hawaii comida

Hoje, quando usamos a palavra “Luau”, remetemos às imagens de comida abundante, shows com fogo e a dança Hula. Entretanto, a palavra originalmente se referia a um prato servido numa festa em Kauai: uma combinação de folhas de Taro (também chamada de Inhame dos Açores) e frango cozido em leite de coco. Então, quando presenciar um Luau Havaiano, lembre-se de não estar apenas presente em um, como também estará comendo um Luau.

2 – O primeiro Luau da História era muito mais que somente um banquete

Luau hawaii forno imu

Um forno de chão, também conhecido como “imu”, é um dos métodos mais antigos de preparo de comida utilizados pelo homem. Usa-se simplismente um “fosso” na terra para armazenar calor, e assim cozinhar o alimento

O Luau como conhecemos hoje se originou em 1819 com um banquete realizado pelo Rei Kamehameha II. Esse jantar marcou uma importante mudança na cultura tradicional dos antigos Havaianos. Antes de Kamehameha II, os Luaus seguiam um restrito código de conduta: Homens e mulheres não podiam comer juntos, mulheres não podiam consumir pratos específicos e cidadãos comuns não comiam junto à realeza . O evento realizado pelo Rei não apenas estabeleceu as tradições culinárias que vemos hoje, como acabou com esses tabus para sempre.

3 – A Dança com fogo e lâminas não é tipicamente havaiana

Luau hawaii dança fogo

Um dos momentos mais impressionantes do Luau é a dança coreografada com lâminas e fogo. É realmente de tirar o fôlego. Surpreendentemente, ela não se originou nas Ilhas do Hawaii: em 1946, o “pai” dessa modalidade, Letuli Misilagi (experiente dançarino nascido na Samoa Americana), viajou para São Francisco para realizar sua performance tradicional de Samoan ailao (como também é chamada essa modalidade de dança), numa exposição no Golden Gate Park.

Ele ficou intrigado com um engolidor de fogo Hindu e uma menina girando um bastão com lâmpadas nas suas extremidades. Todos eles estavam ensaiando para suas apresentações na Convenção. Letuli então pediu ao Hindu um pouco do seu gás inflamável e enrolou uma toalha em volta da lâmina de sua faca. Assim essa dança se tornou famosa e foi incorporada em eventos Havaianos.

4 – Os colares de flores não se originaram no Hawaii

Luau hawaii recepcao colar flores

Chamadas de “Lei“s, o uso desse acessório vêm dos viajantes polinésios, que tinham a tradição de dar flores frescas e ornamentadas como presentes. O presente podia significar várias coisas, como: boas vindas, boa sorte na partida, ou até mesmo a celebração de um dos marcos da vida. Quando se recebe um colar num Luau, é preciso lembrar de mostrar respeito, usando-o por todo o tempo que estiver na presença do doador. Esse presente “sagrado” chama os convidados para participar da tradição ao invés de apenas observá-la.

5 – Dançarinos de Hula também vão à escola

Luau hawaii dança hula

Outra imagem que nos vêm à cabeça quando falamos de Luaus é a famosa dança Havaiana, ou Hula. Na era antiga do Hawaii, os dançarinos treinavam em escolas conhecidas como Halau. Nesses locais, rigorosos códigos de conduta e disciplina severa eram aplicados. Num Luau, pode-se presenciar tanto o Hula Kahiko (ou estilo antigo), realizado com roupas tradicionais e acompanhado por cantorias e percussão,ou o Hula Auana (ou estilo moderno), com músicas, ukuleles (instrumento semelhante ao violão) e trajes mais criativos. Apesar dos Halaus de hoje serem diferentes, ainda são um importante modo de manter viva a cultura Havaiana.

6 – As tatuagens dos dançarinos não são somente para beleza

tatuagem facial hawaii

As tatuagens facias dos homens que praticam a Hula em muitos luaus são chamadas de Moko. Elas simbolizam a genealogia e identidade pessoal de cada praticante.

Fonte:
Hawaii Luaus

A Origem da Oktoberfest

Oktoberfest logo

Todos já ouviram falar da Oktoberfest, o tradicional festival alemão característico pela abundância de cerveja e muitos dias de festa. Entretanto, poucos imaginam sua origem histórica (e mais ainda, a questão dos costumes da época).

Sua descrição oficial conta que o festival começou como uma corrida de cavalos para homenagear o casamento de príncipe Ludwig (ou Luís I da Baviera)  e a princesa Teresa de Saxe-Hildburghausen, em 1810. Por causa da data do casamento (ainda é discutido se ocorreu em 12 ou 17 de outubro), o evento ocorre atualmente sempre em meados de setembro e no começo de outubro (daí o nome Oktober = Outubro, Fest = Festival). Em 1819, a tradição da corrida acabou, dando lugar ao consumo de cerveja e uma atmosfera mais carnavalesca. Os líderes de Munique decidiram que a Oktoberfest seria realizada cada ano, sem exceções. Apesar de originalmente ser uma celebração de um dia, acabou sendo estendida para 16 dias de folia e muita bebida.

Oktoberfest 1845

Gravura sobre madeira, por Goetz, 1845

Entretanto, sua história vai mais além. Já é sabido que o método de preparação da cerveja foi evoluindo ao longo do tempo. Uma das inovações do tipo de preparo ocorreu no final do século 18 (estudos apontam que foi na região central da Baviera – localizada ao sul da Alemanha). Essa inovação mudou a característica da cerveja: Antes, a levedura (ou espuma) subia durante o processo de fermentação (chamado de levedura de alta fermentação), gerando a Ale. Com o novo processo, deixando a levedura abaixo, a cerveja possuía um aspecto mais saboroso (chamado de levedura de baixa fermentação), gerando a Lager. Contudo, para esse novo tipo de cerveja ser feita, era necessário um preparo em um ambiente fresco e preferencialmente gelado.

O preparo antigo era então mantido durante as estações quentes, e quando chegava o outono e a temperatura começava a cair, o preparo da nova cerveja começava. Assim, uma grande festa com muita bebida é realizada, para celebrar o fato de terem boa cerveja mais um ano. O festival acabou sendo aproveitado junto ao casamento do príncipe, e assim como vários festivais e celebrações ao redor do mundo, acabou virando uma tradição marcada por uma data importante.

Oktoberfest celebração

Desde então, a Oktoberfest foi interrompida apenas por causa das guerras, epidemia de cólera e crises financeiras. O aspecto do evento foi gradualmente mudando para o que conhecemos hoje: o uso de vestimentas e músicas tradicionais, bebidas servidas em galões de um litro e a batida tradicional do primeiro barril. O festival se tornou a maior feira de eventos do mundo, com mais de 6 milhões de pessoas presentes a cada ano.

No Brasil, o festival começou em 1976, na cidade de Itapiranga, Santa Catarina, realizado pelos alemães que migraram para o Brasil e seus descendentes. Logo mais a tradição se espalhou para outras cidades do sul do país, como Blumenau, Santa Cruz do Sul, Igrejinha, Marechal Cândido Rondon, Ponta Grossa e São Jorge d’Oeste.

Oktoberfest Blumenau santa catarina

Evento em Blumenau, Santa Catarina, em 2011

Esse ano, as datas de comemoração na Alemanha vão do dia 21 de Setembro a 6 de Outubro. No Brasil, a celebração está marcada para o dia 3 de Outubro até o dia 20 do mesmo mês.

Fontes:

Forbes
Destination360

 

%d blogueiros gostam disto: