Tag Archive: costa


Você sempre gostou de resolver enigmas e labirintos em revistas? Algumas pessoas levavam isso mais a sério: Em várias regiões do mundo, os labirintos eram usados como armadilhas para maus espíritos e locais para danças e rituais religiosos. Na Idade Média, o significado espiritual se tornou ainda mais forte: Era como uma travessia para se chegar a Deus, e seu caminho era considerado uma peregrinação. Antes usados como itens de religião e meditação, hoje são considerados como  um entretenimento. Entretanto, isso não tirou a grandeza de inúmeras obras que existem pelo Mundo:

Plantação de Abacaxis da Dole (Dole Plantation) – Hawaii, Estados Unidos
labirinto-dole-plantation-hawaii-abacaxi
Considerado o labirinto mais comprido do Mundo pelo Guinness em 2001, ele se localiza em Waimea Bay, na Ilha de Oahu no Hawaii. Quem “criou” essa estrutura foi a Dole Corporation, empresa alimentícia que desenvolveu na região uma extensa plantação de abacaxis. É possível observar boa parte da flora presente nas ilhas enquanto se busca as estações que ajudam a completar o desafio do labirinto. Os “competidores” que terminarem o percurso mais rápido ganham um prêmio e entram na História do Labirinto, tendo seus nomes gravados numa placa logo na entrada da atração.Além disso, também é possível obter um tour de 20 minutos que mostra o legado do cultivo de abacaxis e a agricultura no Hawaii. o Plantation Garden Tour oferece aos visitantes uma oportunidade de conhecer o passado e o presente da agricultura do Estado.

 

Labirinto de Reignac-sur-Indre – Touraine, França
labirinto-Reignac-sur-Indre-franca
Localizado em Touraine, província da França, já foi considerado o maior labirinto feito de plantas do Mundo. Por conta das estações do ano, muitas vezes aparece com um novo visual na primavera após a intensa neve do inverno, graças a uma jardinagem cuidadosa e planejada. Em 1996, em seu ano de estreia, mais de 85 mil pessoas aceitaram o desafio de encontrar o caminho no labirinto de 40 mil m².
Fazenda Cherry Crest Adventure, Pensilvânia, Estados Unidos 
labirinto-Cherry-Crest-milho-pensilvania
Essa plantação de milho em Lancaster County, na Pensilvânia é tão desafiadora que dois instrutores “mestres” trabalham em tempo integral para guiar turistas perdidos que tentam atravessar o labirinto de mais de 4 km de caminhos (cheio de pátios, pontes e curvas inesperadas.


Fazenda Davis Farmland, Massachusetts, Estados Unidos
labirinto-milho-davis-mega-maze-Massachusetts
O labirinto Davis Mega Maze é considerado único. Isso porque sua estrutura muda completamente a cada ano (por isso os visitantes nunca sabem o que vão encontrar em seu passeio).

 

Jardim do Palácio de Longleat, Inglaterra 
labirinto-palacio-longleat-inglaterra
Faz parte de um jardim do palácio rural próximo a cidade de  Warminster, na Inglaterra. Suas mais de 16 mil  árvores formam um percurso de cerca viva que cobre mais de 3 km de caminhos. As pontes de madeira construídas dentro do terreno revelam  outra característica incomum: É um labirinto com três dimensões.
Ashcombe – Austrália
labirinto-Ashcombe-australia 
A cidade de Ashcombe fica próxima de Melbourne, e abriga o que é hoje considerado o mais antigo labirinto da Austrália. Como recorde mundial, também é o mais velho labirinto de flores, com 217 variedades de rosas em 1.200 arbustos.

 

Lands End, São Francisco – Estados Unidos
labirinto-Lands-End-sao-francisco
Na cidade de São Francisco, em sua área da baía, está o labirinto de Lands End. Sua vista permite observar a Golden Gate, toda a baía, a Angel Island e boa parte do horizonte da cidade. É conhecido por vários espiritualistas por ser um lugar de grande beleza e tranquilidade.

 

Labirinto de água em Victoria Park – Bristol, Inglaterra
labiritno-Victoria-Park-agua-bristol-inglaterra
Esse labirinto de água fica ainda mais distinto quando é cheio pela água da chuva. É distinto por ser baseado no labirinto da Catedral de Chartres, da França, tendo uma simbologia muito importante na concepção cristã. Com uma simbologia que remete à figura da cruz, os fiéis acreditam que devem andar num padrão particular pelo caminho.
Villa Pisani – Stra, Itália 
labirinto-vila-pisani-italia
Criado no começo do século 18, é considerado como um dos mais difíceis do mundo. Está localizado na cidade de Stra, na Itália, e possui várias camadas de vias em doze círculos concêntricos, com arbustos bem altos, que levam até uma torre ao centro. Se tornou muito famosa por ser visitada por figuras históricas, como Napoleão Bonaparte, Adolf Hitler e Benito Mussolini.

Fontes:
Environmental Graffiti
Web Ecoits

paisagem-hibiscus-amarelo-hawaii

Já reparou num certo tipo de flor que (quase) sempre é mostrado como relacionado ao Hawaii? O Hibiscus amarelo é definido como a flor oficial do estado do Hawaii, mas nem foi sempre assim. Sua origem é bem mais antiga: As erupções vulcânicas que ocorreram há milhares de anos (e que formaram as ilhas do Hawaii) contribuíram para a formação da fauna e flora que se desenvolveram na região. Vista desde Honolulu até Waikiki, é uma planta ornamental muito popular no ramo de jardinagem e usada em várias culturas, com vários usos. Pode ser encontrada facilmente em regiões de climas quentes (especialmente tropicais e subtropicais).

História

hibiscus-vermelho-hawaii

Antigamente, a versão vermelha da flor era considerada a oficial do Território do Hawaii

Também chamado de Pua Aloalo ou ma’o hau hele na língua nativa, sua imagem acabou se tornando sinônimo de “Beleza delicada”: Esse termo se originou na Inglaterra em sua Era Vitoriana, quando as variedades de flores eram muito poucas e espécies tropicais, como o o Hibiscus, eram extremamente raras. Além disso, a flor requer um clima e condições precisos para florescer, o que fortaleceu seu apelido.

A espécie foi adotada em 1923 pelos habitantes locais como flor oficial do então Território do Hawaii (apesar de ter se tornado um estado norte americano só em 1959). Quando se estava próximo a união aos Estados Unidos, a Assembléia Legislativa do Estado adotou vários símbolos, como parte da revisão de estatuto do Hawaii.

Porém, foi somente em 6 de Junho de 1988 que o Hibiscus vermelho (até então símbolo oficial) foi trocado pelo amarelo (única espécie dessa tonalidade) e eleito como a flor oficial do estado. É por isso que as flores de outras cores, ou semelhantes, são mostradas em fotos e algumas publicações antigas. Também é possível ver variações de Hibiscus nas famosas camisas, roupas de banho e pinturas.

padroes-hibiscus-hawaii

Quem nunca viu esses padrões em produtos havaianos?

dancarina-hula-vintage-antiga-flor

Durante na metade do século 20, foi realizada uma enorme campanha para promover o turismo no Hawaii: As palavras ‘Aloha‘ e ‘Malaho‘ foram se tornando cada vez mais populares, e o costume de usar uma flor – não necessariamente a amarela – atrás da orelha estava se popularizando (se uma mulher a usasse na orelha direita, significava que estava solteira. Caso usasse na esquerda, estava comprometida)

Na cultura havaiana, é também um antigo símbolo de realeza e transmite poder e respeito. É normalmente dada a visitantes, oficiais de estado e turistas. O Hibiscus também é usado para fazer chá (contém vários antioxidantes que auxiliam a baixar o colesterol e reduzir a pressão arterial), produtos para cabelo e até fabricação de papel.

Uma flor para cada Ilha

Existe também uma certa controvérsia em relação às flores no Hawaii: Muitos locais defendem que diferentes flores (e cores) são usadas para representar diferentes ilhas. Como muitas ilhas queriam – e agiam – como estados independentes, foram definidas algumas regras para representar cada uma na década de 50:

Oahu
Flor Oficial – Ilima
Cor Oficial – Amarelo

Flor muito popular para fazer leis (os famosos colares havaianos). Cada flor tem cerca de 2,5 cm de diâmetro e se parecem com pequenos hibiscus. Os primeiros habitantes usavam essa planta de várias maneiras: O suco extraído da planta era dado às crianças, era considerado remédio para várias doenças e mulheres grávidas comiam a flor até o nascimento do bebê.
Hawaii (ou Big Island)
Flor Oficial – Lehua Ohia
Cor Oficial – Vermelho

É a flor da árvore nativa de mesmo nome. As flores podem também ser laranjas, amarelas ou brancas (e também é utilizada para fazer leis). Dizem que a Lehua é sagrada, pois representa Pele, a deusa havaiana dos vulcões.
Kauai 
Flor Oficial – Mokihana
Cor Oficial – Roxo

A Mokihana na verdade não é uma flor: É um fruto verde que nasce somente nas encostas do Monte Waialelae. Com cheiro semelhante a erva-doce, são usados amarrados como contas e como diferentes tecidos.
Maui
Flor Oficial – Lokelani
Cor Oficial – Rosa

Também chamada de Pink Cottage Rose (ou “rosa de chalé”), foi trazida por volta dos anos de 1800. É valorizada por cultivadores por sua beleza e fragância. A Lokelani é a única planta não nativa que foi reconhecida como oficial de uma das ilhas do Hawaii.
Molokai
Flor Oficial – Kukui
Cor Oficial – Verde

Também muito popular nessa ilha para fabricação dos colares (Leis)
Lanai
Flor Oficial – Kaunaoa
Cor Oficial – Laranja

Os finos fios da videira (os arbustos onde nascem as flores) são torcidos para a fabricação dos colares Le
Niihau 
Flor Oficial – Concha de Pupu
Cor Oficial – Branco

Essa “flor” oficial é encontrada na costa da Ilha rochosa. As pequenas conchas brancas normalmente são usadas para fabricação de colares e outras jóias nativas havaianas.
Kahoolawe  
Flor Oficial – Hinahina
Cor Oficial – Cinza

Apesar dessa ilha não ser habitada (pela falta de acesso à água doce), ela também possui sua flor oficial. De coloração cinza-prateada, suas flores e caules são usados para a fabricação de colares.

Fontes:
Examiner
Aloha Hawaii
Proflowers
The Flower Expert

Bicicleta-espanha

Todos preferem viajar de algum jeito. Alguns viajam para percorrer percursos de um modo específico. Para quem gosta de viajar e pedalar, a Espanha oferece trajetos muito bem elaborados e de todos os níveis e gostos.

Vias Verdes

Existem mais de 7.500 km de trilhos abandonados por toda a Espanha. Por vários motivos, muitas delas nunca foram usadas, ou completadas. Em 1993, o Programa Vias Verdes foi então lançado. O objetivo era introduzir turismo ambiental nas zonas rurais, primeiramente desenvolvendo rotas nas estruturas dos trilhos já existentes. Contabilizadas 80 vias hoje, o programa já transformou mais de 1.800 km de vias.

Via-verde-espanha

via-verde-del-tranqueru-perlora-asturias

As vantagens de se pedalar em trilhos é que eles são totalmente planos, evitando declives acentuados. Quase todas as vias são pavimentadas e sinalizadas, podendo ser utilizadas até por crianças e idosos. Além disso, nenhum veículo motorizado é permitido nas vias, garantindo ainda mais a segurança dos ciclistas e pedestres.

Um dos trajetos mais famosos que cruzam o interior da Espanha é a Via Verde de la Sierra, em Andaluzia. Ela foi votada como a melhor rota ecológica da Europa em 2009. O caminho de 36 km começa na Vila de Puerto Serrano e termina em Olvera. Apesar da distância parecer um pouco assustadora, muitas pessoas fazem o trajeto num ritmo bem leve, percorrendo o trajeto em etapas e se hospedando em hotéis durante o caminho.

Via-verde-de-la-Sierra Via-verde-tunel-espanha2

A rota passa por uma série de túneis que são iluminados por luzes que se acendem sempre quando uma bicicleta entra. As estações abandonadas foram transformadas em pousadas rurais, onde se pode deixar o carro e começar a pedalar ou passar a noite antes de pedalar de volta no dia seguinte.

Todas as Rotas, com suas descrições detalhadas, podem ser vistas no site oficial

País Basco

Bicicleta-pais-basco-espanha

O turismo de bicicleta no País Basco é cheio de riquezas culturais e políticas. O País Basco é uma região que cruza a costa da Espanha e França pelo Oceano Atlântico. Essa região é conhecida por abrigar cultura, costumes e linguagens únicas do povoado Basco. Sua “identidade”pode ser considerada confusa por ser uma terra dividida e distribuída entre várias regiões ao longo da costa dos dois países.

Apesar de haver muitas montanhas e penhascos ao longo da região, existem várias rotas que são planejadas para todos os tipos de ciclistas, desde os novatos até os moderados e profissionais. Os trajetos são classificados por cores (para distinguir a dificuldade). As rotas variam entre 8 e 37 quilômetros, e a duração máxima aproximada é de 3 horas e meia.

Rotas

Saindo de Guernica y Lumo

Costa Mundaca Espanha

Mundaca

Várias rotas consideradas de nível fácil saem desse local. Entre os vários lugares que se pode visitar está o Museu da Paz, que lembra os eventos sofridos pela cidade por parte dos franquistas e nazistas, em 1937. Também é possível aproveitar muitas rotas que começam nessa cidade e correm ao longo do rio Mundaca.

Saindo de Rigoitia

Bermeo Espanha

Bermeo

Para quem procura uma rota de nível intermediário: Indo até a vila de pescadores de Bermeo, é possível aproveitar a atmosfera marítima e visitar a Torre Ercilla, que é considerada uma Propriedade Cultural e sedia o Museu do Pescador.

Saindo de Mendata

Monte Oiz espanha

Oiz

 Rotas consideradas de nível difícil. O caminho até o Parque Eólico de Oiz leva a uma incrível recompensa, onde o Mirante de Biscaia reserva vistas impressionantes.

Fontes:
Site Oficial da Espanha
Blue Marble
Bike Tour Buzz
Spain Holiday

Aeroporto da Madeira (Portugal)

aeroporto madeira

Tipo: Internacional  | Número de pistas: 1 | Deslocamento de aeronaves: 21,346| Deslocamento de passageiros: 2,311,380 [Dados de 2011]

Madeira é uma pequena ilha distante da costa de Portugal. Por isso existe a necessidade de um aeroporto capaz de receber aeronaves comerciais é vital para seu desenvolvimento. A pista original começou a funcionar em Julho de 1964 e tinha aproximadamente apenas 1,5 km de extensão. Por ser considerada curta, ela colocava em risco a segurança das aeronaves e limitava as importações e o turismo.

Além do comprimento da pista, os pilotos precisam estar atentos à influência do ambiente natural: devido às várias montanhas que ficam ao redor do aeroporto, é preciso “mirar” a aeronave na direção das montanhas e fazer uma forte curva para parar na pista. Os ventos quentes vindos do oceano se encontram com o ar mais frio e seco das montanhas, o que pode provocar turbulências. Foi desenvolvido então um auxílio para os pilotos: A pista então foi estendida para mais de 2,7 km. Ao invés de estendê-la por um aterro, foi construída uma enorme ponte, acoplada e sustentada graças à uma série de 180 pilares de concreto, cada uma com aproximadamente 70 metros.

aeroporto madeira construção

Construção da pista adicional

O projeto de enhenharia foi conduzido pela empresa brasileira Andrade Gutierrez e ganhou vários prêmios (entre eles o “Outstanding Structures Award” – Prêmio de Estrutura Marcante -) pela sua inovação e respeito ao meio ambiente. Apesar da estrutura parecer simples, a pista consegue suportar o peso de um boeing 747 e outros aviões similares.

Fonte:

Popular Mechanics
Rioblog

Vários filmes foram filmados nas localidades do Havaí e outros com a história situada no estado norte americano, mas filmadas em outros lugares. Com algumas exceções, entretanto, só uma pequena porção de filmes foram feitos sobre o Havaí.

A  animação Lilo & Stitch (de 2002, lançada pelos estúdios Disney) conta a história do alienígina Stitch, um experimento criado para causar a total destruição aonde quer que fosse. Quando escapa para o planeta Terra, acaba caindo em Kauai e é “adotado” por uma garota havaiana local. Originalmente, o roteiro indicava que Stitch iria parar no Kansas. Entretanto, para se adequar à história, ele acaba ficando ilhado: como não podia nadar, seus planos de destruir as grandes cidades acabam falhando.

Os personagens (da esquerda para direita): Cobra Bubbles (Ving Rhames), David Kawena (Jason Scott Lee), Nani (Tia Carrere), Lilo (Daveigh Chase), Stitch (Chris Sanders), Jumba (Dadid Ogden Stiers) e Pleakley ( Kevin McDonald)

Os personagens (da esquerda para direita): Cobra Bubbles, David Kawena, Nani, Lilo, Stitch, Jumba e Pleakley

O filme acabou se tornando um grande sucesso, ajudando a ampliar a fama e imagem do Havaí para a visitação de turistas (e auxiliou o turismo a começar a se reerguer após as consequências dos desastres de 11 de setembro). Mas para conseguir transmitir todas as características típicas dos ambientes, a equipe de produção realizou extensas pesquisas enquanto realizava o filme. Eles passaram semanas estudando a geografia, prédios, vegetação e até o modo que a luz se projeta em diferentes horas do dia. Para recirar os elementos no filme, utilizaram uma técnina que não havia sido vista há até então 60 anos (desde a animação Dumbo): a aquarela.

Dean DeBlois, co-diretor e escritor mencionou que “o design suave e arredondado dos personagens e a aquarela orgânica relaxam  o visual das imagens e suavizam a atmosfera , retratando um senso de infância e ‘verão sem fim’ da Lilo. Passamos um tempo em Hanalei e Hanapepe para uma viagem de pesquisa a Kauai. Esses pequenos locais tranquilos e bonitos se tornaram a inspiração para a cidade de Lilo.”

Pra não perder as referências é preciso notar cada cena mostrada. Quem conhece o Havaí reconhecerá alguns pontos turísticos:

Ponte Hanalei

Ponte Hanalei: construiída em 1912, foi reformada após o tsunami de 1957 e reforçada para suportar ainda mais peso em 1967

farol kilauea

Farol Kilauea: construído em 1913 para ajudar a navegação de embarcações comerciais entre o Havaí e o Oriente

Costa Na Pali

Costa Na Pali: localizada ao noroeste de Kauai, possui 26 km² de área protegida

Hotel Princeville

Hotel Princeville: originalmente aberto com a marca Starwood em 1985, o hotel realizou uma reforma milionária de um ano, e foi reinaugurado em 26 de setembro de 2009 como St. Regis Princeville Resort.

Estátua de Duke Kahanamoku, famoso surfista

Estátua de Duke Kahanamoku, famoso surfista havaiano, localizada na praia de Waikiki

Além disso, é possível notar referências da fauna como as tartarugas marinhas verdes, e alguns hábitos locais como o shave ice (espécie de raspadinha).

Tartarura marinha verde: espécie presente em algumas praias do Havaí

Tartarura marinha verde: espécie presente em algumas praias do Havaí

Shave ice

Shave ice

posterLilo & Stitch
animação/ficção científica
EUA, 2002
Distribuidora:
Walt Disney Pictures
Direção e roteiro:
Dean Deblois e Chris Sanders
Vozes:
Daveigh Chase (Lilo), Jason Scott Lee (David Kawena), Tia Carrere (Nani), Chris Sanders (Stitch, Ving Rhames (Cobra Bubbles)

Traduzido de Hawaii Travel

%d blogueiros gostam disto: