Category: Hawaii


Talvez uma das características mais marcantes sobre o Estado Havaiano seja a variade de suas cores: Seja em relação às suas flores oficiais, praias com areias coloridas ou a diversidade de atrações naturais. Entre elas podemos citar a deslumbrante presença dos Eucaliptos Coloridos (chamados por lá de Rainbow Eucalyptus – Ou Eucalipto Arco Íris)

Eucalipto-colorido-arco-iris

Se você já se questionou se existe um Arco íris com vida, pode-se afirmar que essa planta chega muito próximo dessa definição: Seus tronco é considerado uma das mais impressionantes criações do mundo das árvores!

Apesar de parecer uma árvore com uma casca colorida, sua estrutura continua se alterando continuadamente: Apesar das camadas da casca serem lisas, elas se soltam em vários pontos da árvore em diferentes períodos de tempo (revelando novas cores e mantendo o aspecto de arco-íris). Como cada camada de casca vai envelhecendo lentamente, ela muda de verde brilhante até o verde escuro. Depois, ganha um tom azulado até se tornar roxo. Em seguida, muda de rosa até o tom de laranja, até finalmente atingir a cor marrom, onde ocorre a esfoliação. Como esse processo acontece em diferentes partes do tronco (e em tempos diferentes de duração) ao mesmo tempo, as cores variam muito e estão em constante mudança. Como resultado, a árvore nunca vai ter o mesmo padrão de cor, fazendo com que ela vire uma ‘obra de arte viva’.

Origem

Eucalipto-colorido-arco-iris2

Chamada pelo nome científico de  Eucalyptus deglupta,  a origem da árvore ainda não é precisa, mas acredita-se que a espécie tenha surgido nas Filipinas (mais especificamente na ilha de Mindanao). Sua relação com o Hawaii começou em 1929, quando foi introduzida no Jardim Botânico de Wahiawa para reflorestamento. Presente com poucas unidades na ilha de Oahu, agora pode ser encontrada em todas as ilhas. Essa espécie de eucalipto é a única encontrada naturalmente no Hemisfério Norte, podendo ser vista também em países como Nova Guiné, Indonésia, e (obviamente) nas Filipinas. Pode ser vista também (como um tipo de criação exótica) no Brasil, Congo, Costa Rica, Cuba, Honduras, Malásia, Porto Rico, Taiwan e até mesmo na China.

De acordo com o World Agroforestry Centre (Ou centro Agroflorestal Mundial – órgão de pesquisa e proteção de florestas), essa árvore pode crescer até 75 metros de altura, com um diâmetro de até 240 cm de largura. É uma espécie que não costuma crescer em áreas com seca prolongada. Costuma ser plantada muito mais em regiões úmidas e tropicais por se adaptar melhor em climas onde os índices de chuvas anuais são muito altos. Entretanto, ela não suporta enchentes prolongadas e é extremamente sensível ao fogo.

Eucalipto-colorido-arco-iris3No Hawaii

Várias regiões do Hawaii são ótimas para avistar essas árvores: Entre elas estão a região de Tedeschi Winery (Vinícula de de Tedeschi), área do distrito de Kula. Essa região é tradicionalmente agrícula se localiza no interior da ilha de Maui. A Ilha também possui um dos  maiores conjuntos desses eucaliptos na Hana Highway (Ou  Rodovia de Hana).

Essa famosa estrada com mais de 600 curvas e 53 pontes possui vários grupos dessas árvores por todo seu percurso até a chegada a comunidade de mesmo nome. Entretanto, é recomendado cuidado e informação, pois vários locais onde se encontram essas árvores são propriedades privadas. Além disso, a rodovia possui poucas áreas de parada (por isso a necessidade de cautela caso se queira parar para apreciar as árvores).

Para quem é residente dos Estados Unidos e deseja ter seu próprio exemplar, o Site Oficial oferece árvores a venda, bem como todas as informações sobre a árvores, cultivo e cuidados.

hana-highway

Hana Highway

Fontes:
Examiner
Love These Pics

Anúncios

Hawaii google street view2

O alcance do serviço  do Google aumenta cada vez mais: Em parceria com o  órgão oficial de turismo do Estado, o HVCB (Hawaii Visitors and Convention Bureau), novas áreas foram incluídas para serem visualizadas sem precisar sair de casa. A instituição foi a primeira a participar do programa de “empréstimo” das câmeras Trekker (equipamentos utilizados como mochilas, para lugares inacessíveis para carros e bicicletas).  A iniciativa desse programa é incentivar órgãos relacionadas ao turismo e pesquisas a mapear cada vez mais as regiões mais visitadas em todo o globo.

Agora é possível explorar ainda mais as trilhas, parques, áreas históricas e praias usando a ferramenta de navegação em 360°. Várias atrações da principal ilha do Hawaii, a Big Island, Oahu e algumas outras ilhas já foram registradas. É possível ter uma vislumbre de alguns (já bem famosos) pontos turísticos e outros lugares que também têm muito a oferecer com caminhadas e passeios: Confira alguns exemplos e prepare sua viagem!

Hawaii google street view

Rancho de Kualoa (Kualoa Ranch)


Localizado na Costa de Oahu, o enorme vale possui várias atrações para quem gosta de caminhadas ou passeios a cavalo. Ficou conhecido por ser local de filmagens de muitos filmes (como Jurassic Park) e séries de TV (como Lost)

Praia de Hapuna 


A praia, de areia praticamente branca, faz parte do Hāpuna Beach State Recreation Area, um parque local que conta com estacionamento, banheiros, áreas de piquenique e até mesmo áreas de acampamento. Apesar de Hapuna, na língua havaiana, significar “piscina”, várias partes podem ter o mar muito agitado em condições de maré alta (devido a praia estar próxima ao oceano aberto).

Parque Nacional de Vulcões do Hawaii (Hawaii Volcanoes National Park)

Antes adorados como divindades, agora são objetos de estudos (por pesquisadores) e admiração (por turistas e visitantes). O parque com suas várias trilhas oferece a oportunidade de conhecer suas crateras vulcânicas e vistas que não existem em outro lugar no mundo

Costa da Ilha de Molokai


A estrada que corre junto a margem de Molokai quase dá a sensação de andar no próprio oceano, combinando perfeitamente com o estilo tranquilo e paradisíaco que a ilha oferece

Jardim Botânico Tropical do Hawaii (National Tropical Botanical Garden)


Criado na década de 60 para auxiliar as pesquisas sobre as inúmeas plantas do estado, hoje também oferece até passeios para saber mais sobre a incrível diversidade da flora local

Existem ainda muitos outros locais para serem explorados! Para ver todas as principais atrações que já foram mapeadas nesse projeto, é só acessar o link oficial do Google

Você sempre gostou de resolver enigmas e labirintos em revistas? Algumas pessoas levavam isso mais a sério: Em várias regiões do mundo, os labirintos eram usados como armadilhas para maus espíritos e locais para danças e rituais religiosos. Na Idade Média, o significado espiritual se tornou ainda mais forte: Era como uma travessia para se chegar a Deus, e seu caminho era considerado uma peregrinação. Antes usados como itens de religião e meditação, hoje são considerados como  um entretenimento. Entretanto, isso não tirou a grandeza de inúmeras obras que existem pelo Mundo:

Plantação de Abacaxis da Dole (Dole Plantation) – Hawaii, Estados Unidos
labirinto-dole-plantation-hawaii-abacaxi
Considerado o labirinto mais comprido do Mundo pelo Guinness em 2001, ele se localiza em Waimea Bay, na Ilha de Oahu no Hawaii. Quem “criou” essa estrutura foi a Dole Corporation, empresa alimentícia que desenvolveu na região uma extensa plantação de abacaxis. É possível observar boa parte da flora presente nas ilhas enquanto se busca as estações que ajudam a completar o desafio do labirinto. Os “competidores” que terminarem o percurso mais rápido ganham um prêmio e entram na História do Labirinto, tendo seus nomes gravados numa placa logo na entrada da atração.Além disso, também é possível obter um tour de 20 minutos que mostra o legado do cultivo de abacaxis e a agricultura no Hawaii. o Plantation Garden Tour oferece aos visitantes uma oportunidade de conhecer o passado e o presente da agricultura do Estado.

 

Labirinto de Reignac-sur-Indre – Touraine, França
labirinto-Reignac-sur-Indre-franca
Localizado em Touraine, província da França, já foi considerado o maior labirinto feito de plantas do Mundo. Por conta das estações do ano, muitas vezes aparece com um novo visual na primavera após a intensa neve do inverno, graças a uma jardinagem cuidadosa e planejada. Em 1996, em seu ano de estreia, mais de 85 mil pessoas aceitaram o desafio de encontrar o caminho no labirinto de 40 mil m².
Fazenda Cherry Crest Adventure, Pensilvânia, Estados Unidos 
labirinto-Cherry-Crest-milho-pensilvania
Essa plantação de milho em Lancaster County, na Pensilvânia é tão desafiadora que dois instrutores “mestres” trabalham em tempo integral para guiar turistas perdidos que tentam atravessar o labirinto de mais de 4 km de caminhos (cheio de pátios, pontes e curvas inesperadas.


Fazenda Davis Farmland, Massachusetts, Estados Unidos
labirinto-milho-davis-mega-maze-Massachusetts
O labirinto Davis Mega Maze é considerado único. Isso porque sua estrutura muda completamente a cada ano (por isso os visitantes nunca sabem o que vão encontrar em seu passeio).

 

Jardim do Palácio de Longleat, Inglaterra 
labirinto-palacio-longleat-inglaterra
Faz parte de um jardim do palácio rural próximo a cidade de  Warminster, na Inglaterra. Suas mais de 16 mil  árvores formam um percurso de cerca viva que cobre mais de 3 km de caminhos. As pontes de madeira construídas dentro do terreno revelam  outra característica incomum: É um labirinto com três dimensões.
Ashcombe – Austrália
labirinto-Ashcombe-australia 
A cidade de Ashcombe fica próxima de Melbourne, e abriga o que é hoje considerado o mais antigo labirinto da Austrália. Como recorde mundial, também é o mais velho labirinto de flores, com 217 variedades de rosas em 1.200 arbustos.

 

Lands End, São Francisco – Estados Unidos
labirinto-Lands-End-sao-francisco
Na cidade de São Francisco, em sua área da baía, está o labirinto de Lands End. Sua vista permite observar a Golden Gate, toda a baía, a Angel Island e boa parte do horizonte da cidade. É conhecido por vários espiritualistas por ser um lugar de grande beleza e tranquilidade.

 

Labirinto de água em Victoria Park – Bristol, Inglaterra
labiritno-Victoria-Park-agua-bristol-inglaterra
Esse labirinto de água fica ainda mais distinto quando é cheio pela água da chuva. É distinto por ser baseado no labirinto da Catedral de Chartres, da França, tendo uma simbologia muito importante na concepção cristã. Com uma simbologia que remete à figura da cruz, os fiéis acreditam que devem andar num padrão particular pelo caminho.
Villa Pisani – Stra, Itália 
labirinto-vila-pisani-italia
Criado no começo do século 18, é considerado como um dos mais difíceis do mundo. Está localizado na cidade de Stra, na Itália, e possui várias camadas de vias em doze círculos concêntricos, com arbustos bem altos, que levam até uma torre ao centro. Se tornou muito famosa por ser visitada por figuras históricas, como Napoleão Bonaparte, Adolf Hitler e Benito Mussolini.

Fontes:
Environmental Graffiti
Web Ecoits

paisagem-hibiscus-amarelo-hawaii

Já reparou num certo tipo de flor que (quase) sempre é mostrado como relacionado ao Hawaii? O Hibiscus amarelo é definido como a flor oficial do estado do Hawaii, mas nem foi sempre assim. Sua origem é bem mais antiga: As erupções vulcânicas que ocorreram há milhares de anos (e que formaram as ilhas do Hawaii) contribuíram para a formação da fauna e flora que se desenvolveram na região. Vista desde Honolulu até Waikiki, é uma planta ornamental muito popular no ramo de jardinagem e usada em várias culturas, com vários usos. Pode ser encontrada facilmente em regiões de climas quentes (especialmente tropicais e subtropicais).

História

hibiscus-vermelho-hawaii

Antigamente, a versão vermelha da flor era considerada a oficial do Território do Hawaii

Também chamado de Pua Aloalo ou ma’o hau hele na língua nativa, sua imagem acabou se tornando sinônimo de “Beleza delicada”: Esse termo se originou na Inglaterra em sua Era Vitoriana, quando as variedades de flores eram muito poucas e espécies tropicais, como o o Hibiscus, eram extremamente raras. Além disso, a flor requer um clima e condições precisos para florescer, o que fortaleceu seu apelido.

A espécie foi adotada em 1923 pelos habitantes locais como flor oficial do então Território do Hawaii (apesar de ter se tornado um estado norte americano só em 1959). Quando se estava próximo a união aos Estados Unidos, a Assembléia Legislativa do Estado adotou vários símbolos, como parte da revisão de estatuto do Hawaii.

Porém, foi somente em 6 de Junho de 1988 que o Hibiscus vermelho (até então símbolo oficial) foi trocado pelo amarelo (única espécie dessa tonalidade) e eleito como a flor oficial do estado. É por isso que as flores de outras cores, ou semelhantes, são mostradas em fotos e algumas publicações antigas. Também é possível ver variações de Hibiscus nas famosas camisas, roupas de banho e pinturas.

padroes-hibiscus-hawaii

Quem nunca viu esses padrões em produtos havaianos?

dancarina-hula-vintage-antiga-flor

Durante na metade do século 20, foi realizada uma enorme campanha para promover o turismo no Hawaii: As palavras ‘Aloha‘ e ‘Malaho‘ foram se tornando cada vez mais populares, e o costume de usar uma flor – não necessariamente a amarela – atrás da orelha estava se popularizando (se uma mulher a usasse na orelha direita, significava que estava solteira. Caso usasse na esquerda, estava comprometida)

Na cultura havaiana, é também um antigo símbolo de realeza e transmite poder e respeito. É normalmente dada a visitantes, oficiais de estado e turistas. O Hibiscus também é usado para fazer chá (contém vários antioxidantes que auxiliam a baixar o colesterol e reduzir a pressão arterial), produtos para cabelo e até fabricação de papel.

Uma flor para cada Ilha

Existe também uma certa controvérsia em relação às flores no Hawaii: Muitos locais defendem que diferentes flores (e cores) são usadas para representar diferentes ilhas. Como muitas ilhas queriam – e agiam – como estados independentes, foram definidas algumas regras para representar cada uma na década de 50:

Oahu
Flor Oficial – Ilima
Cor Oficial – Amarelo

Flor muito popular para fazer leis (os famosos colares havaianos). Cada flor tem cerca de 2,5 cm de diâmetro e se parecem com pequenos hibiscus. Os primeiros habitantes usavam essa planta de várias maneiras: O suco extraído da planta era dado às crianças, era considerado remédio para várias doenças e mulheres grávidas comiam a flor até o nascimento do bebê.
Hawaii (ou Big Island)
Flor Oficial – Lehua Ohia
Cor Oficial – Vermelho

É a flor da árvore nativa de mesmo nome. As flores podem também ser laranjas, amarelas ou brancas (e também é utilizada para fazer leis). Dizem que a Lehua é sagrada, pois representa Pele, a deusa havaiana dos vulcões.
Kauai 
Flor Oficial – Mokihana
Cor Oficial – Roxo

A Mokihana na verdade não é uma flor: É um fruto verde que nasce somente nas encostas do Monte Waialelae. Com cheiro semelhante a erva-doce, são usados amarrados como contas e como diferentes tecidos.
Maui
Flor Oficial – Lokelani
Cor Oficial – Rosa

Também chamada de Pink Cottage Rose (ou “rosa de chalé”), foi trazida por volta dos anos de 1800. É valorizada por cultivadores por sua beleza e fragância. A Lokelani é a única planta não nativa que foi reconhecida como oficial de uma das ilhas do Hawaii.
Molokai
Flor Oficial – Kukui
Cor Oficial – Verde

Também muito popular nessa ilha para fabricação dos colares (Leis)
Lanai
Flor Oficial – Kaunaoa
Cor Oficial – Laranja

Os finos fios da videira (os arbustos onde nascem as flores) são torcidos para a fabricação dos colares Le
Niihau 
Flor Oficial – Concha de Pupu
Cor Oficial – Branco

Essa “flor” oficial é encontrada na costa da Ilha rochosa. As pequenas conchas brancas normalmente são usadas para fabricação de colares e outras jóias nativas havaianas.
Kahoolawe  
Flor Oficial – Hinahina
Cor Oficial – Cinza

Apesar dessa ilha não ser habitada (pela falta de acesso à água doce), ela também possui sua flor oficial. De coloração cinza-prateada, suas flores e caules são usados para a fabricação de colares.

Fontes:
Examiner
Aloha Hawaii
Proflowers
The Flower Expert

boneca-hula-carro

 

A famosa boneca havaiana Hula, também chamada de Hula Girl Doll, ou Girl Nodder (traduzido como aquela que acena) é provavelmente um dos itens de decoração automotivo mais populares e amados de todos os tempos. Descrita como icônica, retrô, cafona e até nostálgica, seu uso ultrapassou os painéis de carros e se transformou num souvenir de decoração geral: Hoje ela pode ser vista dançando em barcos, prateleiras e até geladeiras.

Como começou

boneca-hula-carro3

Apesar do modelo mais famoso da boneca ter sido criada na década de 50, foi a crescente presença de soldados americanos no Hawaii durante a Segunda Guerra que aumentou o interesse de visitas às ilhas havaianas. As visitas de turistas após a Guerra ajudaram a aumentar a popularidade do souvenir dançante. A boneca tinha tamanha demanda que as fábricas no Japão aproveitaram tanta procura e começaram a produzi-las em escala industrial.

dançarinas-hula-foto-antiga

Antigo cartão postal: As dançarinas de Hula sempre foram um dos símbolos mais marcantes do Hawaii

A dança Hula têm sido um símbolo do Hawaii desde que as ilhas se tornaram um destino turístico popular (no começo de 1900), e os visitantes começaram a trazer bonecas temáticas como lembranças e presentes. Durante a década de 20 e 30, as primeiras bonecas eram feitas de materiais muito semelhantes a argila e barro, sem muitos acabamentos. Eram pintadas a mão e decoradas com saias feitas de folhas de grama, chapéus e colares feitos de flores.

Antigamente, quando usada nos painéis de carros, havia um buraco na parte de baixo, onde um ímã era inserido e o objeto era acoplado aos (agora ultrapassados) painéis de metal dos automóveis. A boneca era feita de plástico e tinha molas nas pernas (para que pudesse mexer os quadris conforme o carro se movesse). Era feita de diferentes tamanhos e versões, como a pose Ukulele (onde se segura o instrumento de mesmo nome) e a mais famosa, com as mãos em gesto de dança.

boneca-hula-carro2

Atualmente, a boneca é acoplada nos painéis através de uma adesivagem de dois lados, mas sua popularidade continua forte como nunca.

Fonte:
On Star Connections

Luau hawaii por do sol

O Luau é um evento sempre relacionado ao Hawaii. Hoje considerado um acontecimento puramente turístico (não deixe de viajar sem presenciar essa festa!), já sofreu muitas reformulações desde suas antigas origens, da época dos viajantes Polinésios. Confira 6 fatos que tornam esse evento ainda mais curioso:

1 –  “Luau”não significa “Festa”

Luau hawaii comida

Hoje, quando usamos a palavra “Luau”, remetemos às imagens de comida abundante, shows com fogo e a dança Hula. Entretanto, a palavra originalmente se referia a um prato servido numa festa em Kauai: uma combinação de folhas de Taro (também chamada de Inhame dos Açores) e frango cozido em leite de coco. Então, quando presenciar um Luau Havaiano, lembre-se de não estar apenas presente em um, como também estará comendo um Luau.

2 – O primeiro Luau da História era muito mais que somente um banquete

Luau hawaii forno imu

Um forno de chão, também conhecido como “imu”, é um dos métodos mais antigos de preparo de comida utilizados pelo homem. Usa-se simplismente um “fosso” na terra para armazenar calor, e assim cozinhar o alimento

O Luau como conhecemos hoje se originou em 1819 com um banquete realizado pelo Rei Kamehameha II. Esse jantar marcou uma importante mudança na cultura tradicional dos antigos Havaianos. Antes de Kamehameha II, os Luaus seguiam um restrito código de conduta: Homens e mulheres não podiam comer juntos, mulheres não podiam consumir pratos específicos e cidadãos comuns não comiam junto à realeza . O evento realizado pelo Rei não apenas estabeleceu as tradições culinárias que vemos hoje, como acabou com esses tabus para sempre.

3 – A Dança com fogo e lâminas não é tipicamente havaiana

Luau hawaii dança fogo

Um dos momentos mais impressionantes do Luau é a dança coreografada com lâminas e fogo. É realmente de tirar o fôlego. Surpreendentemente, ela não se originou nas Ilhas do Hawaii: em 1946, o “pai” dessa modalidade, Letuli Misilagi (experiente dançarino nascido na Samoa Americana), viajou para São Francisco para realizar sua performance tradicional de Samoan ailao (como também é chamada essa modalidade de dança), numa exposição no Golden Gate Park.

Ele ficou intrigado com um engolidor de fogo Hindu e uma menina girando um bastão com lâmpadas nas suas extremidades. Todos eles estavam ensaiando para suas apresentações na Convenção. Letuli então pediu ao Hindu um pouco do seu gás inflamável e enrolou uma toalha em volta da lâmina de sua faca. Assim essa dança se tornou famosa e foi incorporada em eventos Havaianos.

4 – Os colares de flores não se originaram no Hawaii

Luau hawaii recepcao colar flores

Chamadas de “Lei“s, o uso desse acessório vêm dos viajantes polinésios, que tinham a tradição de dar flores frescas e ornamentadas como presentes. O presente podia significar várias coisas, como: boas vindas, boa sorte na partida, ou até mesmo a celebração de um dos marcos da vida. Quando se recebe um colar num Luau, é preciso lembrar de mostrar respeito, usando-o por todo o tempo que estiver na presença do doador. Esse presente “sagrado” chama os convidados para participar da tradição ao invés de apenas observá-la.

5 – Dançarinos de Hula também vão à escola

Luau hawaii dança hula

Outra imagem que nos vêm à cabeça quando falamos de Luaus é a famosa dança Havaiana, ou Hula. Na era antiga do Hawaii, os dançarinos treinavam em escolas conhecidas como Halau. Nesses locais, rigorosos códigos de conduta e disciplina severa eram aplicados. Num Luau, pode-se presenciar tanto o Hula Kahiko (ou estilo antigo), realizado com roupas tradicionais e acompanhado por cantorias e percussão,ou o Hula Auana (ou estilo moderno), com músicas, ukuleles (instrumento semelhante ao violão) e trajes mais criativos. Apesar dos Halaus de hoje serem diferentes, ainda são um importante modo de manter viva a cultura Havaiana.

6 – As tatuagens dos dançarinos não são somente para beleza

tatuagem facial hawaii

As tatuagens facias dos homens que praticam a Hula em muitos luaus são chamadas de Moko. Elas simbolizam a genealogia e identidade pessoal de cada praticante.

Fonte:
Hawaii Luaus

O filme Jurassic Park, de 1993, precisava de uma ambientação à altura para a temática do filme. Sua história de visual tropical e aspecto de safári, mostra um mundo onde foi possível “recriar” dinossauros e manter seu habitat numa ilha isolada. Para transmitir a sensação real de mundo selvagem e paisagens deslumbrantes, o Havaí foi escolhido como uma das principais localizações das filmagens. A obra acabou se tornando um clássico, tanto por seus efeitos inovadores quanto a qualidade técnica. O longa acabou rendendo mais duas continuações (o quarto filme está planejado para sair em 2015). O cenário também se tornou inesquecível, virando uma de suas características mais marcantes.

Jurassic Park dinossauros hawaii

Filmagens

Após 25 meses de pré produção, as filmagens começaram no dia 24 de Agosto de 1992, na ilha de Kauai (Apesar de ter sido filmado em outras ilhas, essa foi onde a maior parte das filmagens foi realizada no Hawaii). As três semanas de filmagens envolviam várias tomadas externas, possibilitando vistas deslumbrantes da região. No dia 11 de Setembro, o furacão Inki passou diretamente sobre Kauai (o que acabou custando um dia inteiro sem gravações). Várias cenas de tempestades do filme são filmagens reais das fortes chuvas que sucederam a passagem do furacão.

Chegada à ilha
Uma das cenas mais icônicas do filme mostra os personagens chegando de helicóptero até a ilha dos dinossauros. Toda a sequência se passa no Vale Hanapepe, em Kauai. A cena do pouso da aeronave é em frente às quedas de Manawaiopuna.
 
 
O Portão do Parque
Filmado no parque que se encontra no Monte Waialeale, o local é chamado de Blue Hole. Apesar do portão característico não está mais presente, existem diversas opções de caminhadas e passeios para conhecer esse local e muito mais da região.
 
 
Debandada de dinossauros
A planície da cena se localiza no Rancho Kualoa, em Oahu. A região foi aberta ao público desde os anos 80, e oferece atividades como passeios a cavalo e caminhadas
 
 
A Fuga do T-Rex
A cerca elétrica que mantinha os dinossauros afastados foi filmada no Vale Olokele, em Kauai. A região também é conhecida pelos seus Cânyons, que podem ser vistos ao fundo da rede de proteção
 
 

Jurassic_Park_poster

Jurassic Park
Ficção científica
EUA, 1993
Distribuidora:
 Universal Pictures
Direção:
Steven Spielberg  Roteiro: David Koepp, Michael Crichton, Malia Scotch Marmo
Elenco: 
Sam Neill, Laura Dern, Jeff Goldblum

Fontes

Msn

My Dream Came True

Quando William McKinley ganhou as eleições presidenciais em 1896, a anexação do Hawaii ao território norte americano foi novamente discutida. Depois de várias negociações, o secretário de Estado John Sherman concordou com um tratado de anexação com os representantes da República do Hawaii.

trabalhadores japoneses plantacao 1885

Trabahadores japoneses – pintura de Joseph Dwight Strong, 1885

O tratado nunca foi validade pelo Senado. Ao invés disso, apesar da oposição da maioria dos Havaianos, a República foi anexada, mas denominada como Território do Hawai (ou seja, estava unido aos Estados Unidos, mas não como um dos estados oficiais). Os lucros do estado começaram a surgir quando Porto Riquenhos começaram a migrar para o território havaiano. Por causa de dois furacões que ocorreram em 1899, a indústria de açúcar foi devastada em Porto Rico (causando uma demanda mundial de produção de açúcar). Os donos das plantações passaram a contratar os exeperientes (porém desempregados) trabalhadores de Porto Rico.

Apesar de várias tentativas de se tornar um estado norte americano, o Hawaii continou sendo um território por mais 60 anos. Os donos de plantações e capitalistas (que mantinham controle do comércio e mercado), consideravam a condição de Território muito conveniente, permitindo que continuassem a importar mão de obra barata (o que é proibido em muitos estados) e lucrar com mais controle no comércio.

Mudanças Políticas – A criação do Estado

Na década de 50, o domínio dos dos de plantações foi finalmente interrompido pelos descendentes de imigrantes. Como eles nasceram em território norte americano, eles eram considerados legalmente cidadãos dos Estados Unidos. O Partido Republicano Havaiano (que era fortemente apoiado pelos donos de plantações), foi tirado do poder. Esperando ganhar total liberdade de votos, os residentes do Hawaii protestaram ativamente pela mudança para condição de estado.

Em Março de 1959, o Congresso aprovou o Ato de União do Hawaii e o presidente Dwight D. Eisenhower assinou a autorização. No dia 27 de Junho do mesmo ano, um referendo foi realizado para perguntar aos cidadãos a decisão de criação do estado, ou a continuidade como um Território. Mais tarde, as Nações Unidas removeram o Hawaii da lista de territórios não autônomos.

Depois da criação do estado, o Hawaii rapidamente se modernizou com o aumento de obras e o rápido crescimento da economia vinda do turismo. Mais tarde, programas de estado promoviam a cultura havaiana, ajudando a espalhar sua imagem aos Estados Unidos e ao mundo.

A Realização oferece um pacote exclusivo para quem quer conhecer o Hawaii e desfrutar ao máximo sua viagem:

O pacote inclui*:

  • Passagem internacional São Paulo – Honolulu – São Paulo pela Delta Airlines.
  • Recepção de boas vindas com colar de flores.
  • Transfer in/out Aeroporto – Hotel em Honolulu – Aeroporto.
  • 4 noites de hospedagem em Honolulu.
  • Aéreo entre ilhas Honolulu – Maui pela HAWAIIAN AIRLINES.
  • Aluguel de carro durante toda estadia em MAUI.
  • 3 noites de hospedagem em Maui.
  • Aéreo entre ilhas Maui – Honolulu pela HAWAIIAN AIRLINES.

*Voos saindo de São Paulo pela DELTA, válidos para períodos de baixa temporada, comprados com cerca de 3 meses de antecedência. Terrestre com tranfer padrão, hotel 3 estrelas, e carro econômico. Valores sujeitos a alterações e a disponibilidade de lugares. A ordem das ilhas e a categoria de serviços/ hotéis podem variar de acordo com a disponibilidade da data solicitada.

%d blogueiros gostam disto: