Category: Ásia


É inegável a influência dessa rede social de compartilhamento de fotos da internet: O Instagram vai cada vez mais tornando-se conhecida. Seu uso é constante tanto por fotógrafos profissionais, amadores, ou apenas aqueles que amam tirar (e ver fotos). Recentemente, o serviço divulgou uma lista dos dez lugares que mais foram fotografados no Mundo (através da descrição ei localização disponível via GPS).

Com uma atualização diária de aproximadamente 60 milhões de fotos enviadas por dia, não é de se surpreender como os lugares mais procurados por turistas estão mais concentrados nessa lista

10 – Dubai Mall, em Dubai – Emirados Árabes Unidos

O maior shopping do Mundo (em questão de área de comércio e quantidade de lojas) não parou de acumular recordes mundiais desde sua inauguração em 2008. Entre eles estão os títulos de shopping mais visitado mundo em anos consecutivos (37 milhões de visitantes em 2009, 47 milhões em 2010, 54 milhões em 2011 e 65 milhões em 2012. Entre as atrações recordistas também estão o maior aquário dentro do shopping já registrado (32.88 m de largura, 8.3 m de altura e pesando 245 toneladas) e a maior loja de doces (Candylicious, medindo 930 m2).

dubai @abdulla2010

Foto por @abdulla2010

dubai @Motazibrahim

Foto por @Motazibrahim

 

 

09- Estádio Yankee, Bronx, Nova York

estadio yankee @normanyen

Foto por @normanyen

estadio yankee @kayuk86

Foto por @kayuk86

 

A sede do tradicional time local de basebal New York Yankees foi aberta no começo do ano de 2009 como um substituto do antigo e original estádio dos Yankees (aberto em 1923 e fechado em 2008). Desde então, o local recebe um número gigantesco de visitas, principalmente por hospedar mais modalidades de esportes e receber vários shows de artistas consagrados, como Paul McCartney, Madonna e Justin Timberlake.

08- Madison Square Garden,  Manhattan, Nova York, Estados Unidos

madison square garden @littlesayang

Foto por @littlesayang

madison square garden @seenmorekicks

Foto por @seenmorekicks

 

A mais antiga e mais ativa arena multiesportiva de Nova York (funcionando desde 1968) ficou famosa e cada vez mais visitada graças à sua proximidade com vários pontos turísticos da cidade (entre eles o Edifício Empire State, Koreatown e Macy’s). Além de ser a sede do time de hóquei New York Rangers e do time de basquete New York Knicks, também recebe vários eventos, como boxe, concertos, shows de gelo e várias outras apresentações de entretenimento (recebendo aproximadamente 320 eventos por ano).

07- Praça Vermelha, Moscou, Rússia

praca vermelha @aleona_klm

Foto por @aleona_klm

praca vermelha @peterepic

Foto por @peterepic

 

Um dos pontos mais famosos da Rússia possui uma história riquíssima de detalhes por ser um local tradicionalmente usado para cerimônias públicas e muito importantes. Desde a época de coroação dos Czares, o local tem sido gradativamente melhorado e considerado o centro da Rússia (pois as principais ruas de Moscou originam dessa região). Hoje a praça separa o Kremlin (a antiga citadela real e hoje a residência oficial do presidente) do distrito comercial de Kitai-gorod

06- Museu do Louvre, Paris, França

Museu do Louvre @farnazmalek

Foto por @farnazmalek

Museu do Louvre @alicetemperley

Foto por @alicetemperley

 

É considerado o mais visitado museu de todo o Mundo, com mais de 9,7 milhões de visitantes como recorde de visitas em um ano. Símbolo da França e do mundo da cultura, foi aberto em 1793 com 537 pinturas (hoje contém mais de 380 mil objetos e quadros e 35 mil obras de arte em seus 8 departamentos). Além das relíquias únicas (como estátuas e artefatos romanos e egípcios), é também o atual lar da obra de arte mais famosa do mundo: a Mona Lisa de Leonardo da Vinci.

05- Parque Gorky, Moscou, Rússia

parque gorky @atmospheriq

Foto por @atmospheriq

parque gorky @kettry

Foto por @kettry

 

Foi nomeado em homenagem a Maxim Gorky: escritor, ativista político e um dos fundadores do método literário do realismo socialista. Aberto em 1928, foi reestruturado em 2011: todas as antigas e depredadas instalações de parques de diversões foram removidas, dando lugar a um espaço quase totalmente ecológico (com seus imensos jardins) e recreativo. Com isso, o local rapidamente se tornou um dos pontos mais visitados de Moscou.

04- Shopping Siam Paragon, Bangkok, Tailândia

shopping Siam Paragon @yaroslav2626

Foto por @yaroslav2626

shopping Siam Paragon @ikyor

Foto por @ikyor

 

Sua imensidão de lojas e atrações concederam ao shopping o título de um dos maiores de toda a Ásia. Inclui lojas e restaurantes especializados, cinema com um das maiores telas do continente, aquário, galeria de arte e sala de concertos musicais. Desde sua abertura em 2005, o centro comercial atrai multidões tanto de locais como turistas (com o auxílio de estar presente em um local de extrema movimentação e comercialização).

03- Times Square, Nova York, Estados Unidos

Times square @gauxgirl

Foto por @gauxgirl

Times square @ryanbolton

Foto por @ryanbolton

 

Um dos principais símbolos da cidade, está presente no “coração” de Nova York, onde tudo se liga. É facilmente reconhecida graças aos imensos anúncios e letreiros, à sua junção com a Broadway, e a intensa presença de prédios da indústria do entretenimento. Seus cruzamentos entre pedestre são dos mais cheios do mundo, tendo mais de 39 milhões de visitantes por ano (330 mil pessoas passam por dia, entre turistas e funcionários que trabalham naquela área). É também o local onde se comemora a festa de Ano Novo mais movimentada da cidade, atraindo milhões de pessoas.

02- Estádio Dodger, Los Angeles, Califórnia, Estados Unidos

estadio dodgers @madonnaatemybaby

Foto por @madonnaatemybaby

estadio dodgers @adamlinamen

Foto por @adamlinamen

 

É atualmente o terceiro estádio de basebal mais antigo dos Estados Unidos. Por sua tradição em jogos, já foi palco de eventos históricos no esporte e continua sendo visitado por multidões todos os anos. Já é característico e sempre lembrado da paisagem de Downtown de Los Angeles (por isso sempre está presente em cenários de filmes ou é eleito como local de grandes eventos artísticos e shows)

01-Disneyland, Anaheim, Califórnia, Estados Unidos

disneyland @courtney_blair

Foto por @courtney_blair

disneyland @k_alsriif

Foto por @k_alsriif

 

O parque idealizado por Walt Disney acabou se tornando muito mais do que o criador algum dia já sonhou. Foi aberto em 17 de Julho de 1955, e desde então, têm sido expandido em inúmeros complementos turísticos e renovações (que incluem áreas temáticas, diversas opções de entretenimento e resorts). O parque é o que recebe o maior número acumulado em total de visitantes em todo o Mundo, com mais de 650 milhões de pessoas desde sua abertura. Em 2013, obteve um público de mais de 16,2 milhões de visitantes que vieram de todas as partes do Mundo.

Fonte: PopPhoto
CnTraveler

Anúncios

Um video muito interessante mostra uma viagem, do ponto de vista frontal, da cabine de comando, de Tokyo a San Francisco. Em um avião comercial comum, essa viagem dura por volta de 9 horas e 30 minutos, porém, foi editada em time-lapse, o que da a sensação que a viagem em sí dura apenas 83 segundo. Muito legal!

bandeira-alemanha-muro-berlim-rachado

Um dos fatos mais conhecidos da capital da Alemanha, Berlim, foi o seu muro que dividiu (entre os anos de 1961 a 1989) não só o território alemão, mas também simbolizou a divisão do mundo em dois blocos durante a Guerra Fria. A estrutura fortificada criada pelo lado Oriental possuía 156,4 km de extensão, cercando completamente o que era então a Berlim Ocidental.

Pouco do que sobrou do Muro de Berlim sobrevive hoje na capital alemã. A barreira icônica que existiu estre os lados Ocidental e Oriental foi derrubada, e seus “pedaços” foram repartidos ou leiloados. Entre 1961 e 1989. Nos dias de hoje, o “trecho” mais conservado do muro (que possui cerca de 1,3 km de extensão) pode ser visto na East Side Gallery, na rua Mühlenstrasse. Para se ter uma ideia do tamanho reduzido, é possível observar o monumento inteiro em pouco menos de 20 minutos.

east-side-gallery-berlim

Considerada a galeria de arte ao ar livre de maior duração no mundo, a East Side Gallery possui várias obras onde um dia foi uma parte do Muro de Berlim

Após a Reunificação das duas Alemanhas, 65 guindastes, 175 caminhões e 13 tratores foram utilizados para remover a barreira. Muita parte do que foi retirado acabou sendo utilizado para material de construção e pavimentação de ruas. Entretanto, as partes que foram mantidas intactas foram leiloadas como objetos de arte, compradas ou doadas para museus e Instituições por todo o mundo, como o Imperial War Museum (Museu da Guerra Imperial), em Londres e o Ronald Reagan Presidential Library (Biblioteca Presidencial Ronald Reagan) na Califórnia. Outras partes do muro tiveram destinos ainda mais incomuns, como esses a seguir:

Cassino Main Street Station, Brewery and Hotel, em Las Vegas, Estados Unidos

pedaco-muro-berlim-las-vegas(2)

Talvez o local mais incomum onde estaria o Muro hoje: Está em um banheiro masculino há aproximadamente 20 anos. 3 urinóis estão posicionados entre as placas de concreto que um dia formaram o Muro (elas possuem aproximadamente 3 m de largura e 1,8 m de altura, e estão protegidas por uma camada de vidro). Não se sabe ao certo quem comprou ou trouxe esse segmento do muro: segundo a Corporação que gerencia o local, o Muro já estava no banheiro quando a companhia comprou a propriedade de um outro Cassino nos anos 90.

A “atração” se tornou um dos pontos mais famosos do Cassino: o banheiro teve que ser reformado devido a quantidade de tráfego que ele recebe. Além disso, as mulheres também podem visitar o monumento (desde que o espaço esteja vazio e acompanhadas por um segurança do local

Rua Wilshire Boulevard, Los Angeles, Estados Unidos pedaco-muro-berlim-los-angeles(2)

O trecho mais longo do Muro de Berlim nos Estados Unidos permanece na frente do Edifício Variety, prédio que sedia a revista com esse nome. A estrutura com 26 segmentos tem 25 toneladas e mede 3,7 m de altura e 11,6 m de largura. Os murais de 4 segmentos do Muro são trabalhos originais da era da separação, incluindo um urso verde de um artista de rua conhecido como Bimer. Outros são trabalhos recentes criados por artistas como RETNA, de Los Angeles e Herakut, da própria Alemanha.

O Museu Wende, instituto de pesquisa e educação que preserva artefatos históricos de guerra, trouxe esses segmentos em 2009 para ajudar o governo da Alemanha e a cidade de Los Angeles como parte do The Wall Project, movimento que lembra a queda do muro e continua seu legado, utilizando o concreto como tela de pintura para arte e expressão política.

Hotel Hilton Anatole, Dallas, Estados Unidos pedaco-muro-berlim-dallas(2)

O Hilton Anatole já é reconhecido por abrigar uma coleção imensa de arte que ocupa 27 andares. Para incrementar essa coleção ainda mais, dois segmentos do muro (de 3,6 m de altura e 1,2 m de largura) foram doados por um parceiro alemão da rede de hotéis. A pintura presente foi realizada pelo artista alemão Jurgen Grosse, em 1990. Inicialmente posicionados no jardim do hotel, foram reposicionados para a parte interna em 2011.

Avenida Madison, Nova York, Estados Unidos pedaco-muro-berlim-nova-york

A região próxima ao Paley Park (próximo ao número 520 da Avenida Madison), frequentado por vários empresários e funcionários de escritório, possui cinco segmentos do Muro: Eles tem cerca de 6 m de comprimento e 3,6 m de altura. Foram comprados do governo alemão em 1990 pela empresa dona do parque, a  Tishman Speyer Properties.

Prédio do Grupo Perfil, Buenos Aires, Argentina pedaco-muro-berlim-buenos-aires(2)

20 segmentos podem ser vistos na entrada do escritório do prédio que sedia o jornal argentino Perfil. Comprados em 1991, foram adquiridos (segundo o jornal) por seu significado como símbolo da liberdade, relacionando-se assim com o grupo que exerce o direito a liberdade.

Schengen, Luxemburgo pedaco-muro-berlim-luxemburgo(2)

A vila de Schengen, localizada a sudeste de Luxemburgo, tem pouco menos de 2.000 habitantes. Entretanto, um segmento do Muro foi colocado para representar seu lugar na História da Europa. O tratado de Schengen (que agora consiste em 26 países europeus) foi assinado nesse local em 1985 para conceder os cidadãos de seus Estados membros a viagem livre sem controle de fronteiras.

Junto com a aberura do European Museum (Museu Europeu), o Muro de 2,8m de altura e 1,2m de largura  foi colocado para marcar o 25° aniversário do acordo, sendo um símbolo de uma fronteira que não existe mais.

Parque Europa, Madrid, Espanha pedaco-muro-berlim-madrid(2)

O parque de 233 mil m² na periferia de Madrid exibe 17 réplicas em escala reduzida de marcos emblemáticos de toda a Europa. Junto deles está incluindo um segmento original do Muro de Berlim. Ele foi dado ao parque pela Câmara Municipal de Torrejón de Ardoz, região onde o parque está localizado. Atrás do segmento está uma pequena réplica do Portão de Brandemburgo (por séculos considerado um símbolo da cidade, ele foi bloqueado por intervenção do muro).

Córrego de Cheonggyecheon, Seoul, Coréia do Sul pedaco-muro-berlim-seoul(2)

Três pedaços do muro estão desde 2005 no centro da cidade. Eles fazem parte da Berlin Square (Praça Berlim), um espaço aberto financiado pela cidade de Berlim criado com a expectativa que se torne um lugar onde os cidadãos de Seoul tenham a esperança ou considerem a reunificação das Coreias.

Os segmentos do muro, de 3,5 m de altura e 3 m de comprimento, possuem um lado inteiramente grafitado e o outro totalmente em branco. Além disso, é acompanhado por um poste aceso à gás (tradicionalmente alemão) e uma estátua de um urso azul, símbolo de Berlim.

Jardins do Vaticano, Cidade do Vaticano pedaco-muro-berlim-vaticano(2)

Um grande segmento do Muro de Berlim foi transportado à Cidade do Vaticano em agosto de 1994. Localizado no tranquilo jardim onde os papas têm meditado e relaxado desde o século 13, uma parte de sua pintura possui a figura da Igreja de São Miguel.

Ele foi originalmente adquirido pelo diretor e chefe de equipe de Fórmula 1 da Ferrari (Marco Piccinini) num leilão em Monte Carlo em 1990. Quatro anos depois, doado ao Vaticano como um presente.

Fonte: CNN

 

Aeroporto de Daocheng Yading (China)

Aeroporto Daocheng Yading china

 

Tipo: Nacional| Número de pistas: 1 | Deslocamento de aeronaves: Não divulgado| Deslocamento de passageiros: 280,000 [Previsão]

O mais recente aeroporto adicionado à lista de únicos. Isso porque foi no dia 16 de Setembro desse ano que sua construção foi concluída e o primeiro voo foi recebido.

Ele foi reconhecido como mais alto aeroporto civil do mundo, permanecendo a uma altitude de 4.411 metros acima do nível do mar. A decolagem dos aviões deve ser relativamente mais fácil, já que sua altura é considerada a metade da altura de um voo regular. Com esse recorde, o aeroporto conseguiu desbancar o título do Aeroporto de Qamdo Bamda (também na região do Tibete), que está a uma altura de 4.334 metros.

Aeroporto Daocheng Yading china inauguração

Equipe do 1° voo realizado no aeroporto

Aeroporto Daocheng Yading china inauguração2

O aeroporto de 1,58 bilhões de yuan (258 milhões de dólares) foi construído em Garzi, no sudoeste da província de Sichuan, uma região com grande concentração de tibetanos. Ele foi construído para conectar a região com a capital da província, Chengdu (antigamente, a viagem de ônibus levava dois dias, o que agora leva apenas uma hora). 

Por causa da elevação, os motores das aeronaves produzem menos impulso (o que acabou exigindo a construção de uma pista de pouso mais comprida). Sua pista possui 4.200 metros, 242 metros a menos do que a pista mais longa do aeroporto John F. Kennedy em Nova York.

Aeroporto Daocheng Yading china construção pista

Foto aérea da pista de pouso, na época da construção do aeroporto

O local foi projetado para receber 280 mil passageiros por ano, e o governo da China espera estimular o turismo na região, atraindo 15 milhões de turistas à região do Tibete até 2015. Entre os pontos de mais interesse estão a Reserva Natural de Yading (uma área montanhosa que é conhecida por peregrinações tibetanas) e picos santificados pelo 5° Dalai Lama (Monte Yangmaiyong, Monte Xiaruoduijie e Monte Xianairi). Essa região também é conhecida por ser pouco explorada por pessoas de outros locais. 

Aeroporto Daocheng Yading china2

Controversas

Entretanto, tanto o plano turístico quanto o aeroporto são controversos, por ajudar a manter o controle político da China sobre o Tibete. A região havia decarado sua independência do governo Chinês em 1913, mas o exército reentrou no país em 1950, trazendo de volta o controle da China (e vários protestos) até os dias de hoje.

Alistair Currie, ativista a favor da “Libertação” do Tibete alega que “esse não é um destino para se passar as férias. Mais de 95% dos visitantes do Tibete são chineses, e os interesses econômicos são dominados por imigrantes ou companhias chinesas. Os benefícios econômicos desse tipo de desenvolvimento quase  sempre não ficam para a região. Para a China, a cultura e paisagens Tibetanas são apenas um recurso a ser explorado”.

Entretanto, é inegável o investimento da China em criação de aeroportos e incentivo ao turismo. Talvez com mais facilidades de acesso, turistas estrangeiros também possam se beneficiar do conhecimento de várias regiões até então pouco exploradas.

Fontes:
Amazing Info
The Guardian
International Business Times

Aeroporto Don Mueang 

 (Tailândia)

don Mueang aeroporto tailandia

Tipo: Internacional  | Número de pistas: 2 | Deslocamento de aeronaves: 34,261 | Deslocamento de passageiros: 5,983,141 [Dados de 2012]

Olhando de longe, o aeroporto parece normal como qualquer um. Entretanto, no meio das duas pistas se encontra nada menos do que um campo de golfe ativo.

Na área destacada, o campo de golfe que ocupa toda a extensão das 2 pistas

Na área destacada da imagem de satélite, o campo de golfe que ocupa toda a extensão das 2 pistas

Os primeiros voos para Don Muang foram realizados em 8 de Março de 1914, envolvendo o transporte de aeronaves da Força Aérea Real Tailandesa. Três anos antes, o governo da Tailândia enviou três oficiais do exército para a França, para serem treinados e se tornarem pilotos. Quando completaram seu treinamento, foram autorizados a comprar quatro modelos Breguets e quatro Nieuports, que formaram a base da Força Aérea.

Os voos comerciais começaram em 1924, com a primeira chegada de um modelo da companhia KLM. Como originalmente o aeroporto era de operações militares e já possía a pista de golfe no local,  o campo foi mantido após a abertura de voos comerciais.

Modelos Air America Turbo Porters no aeroporto em 1966.

Modelos Air America Turbo Porters no aeroporto em 1966.

O campo de golfe, chamado de Kantarat (a antiga Força Aérea Real Tailandesa), começa a aproximadamente 800 metros ao sul do terminal doméstico. O aspecto do local pode não ser do padrão de um campo para campeonatos internacionais (o terreno é totalmente plano e reto). Entretanto, é impossível não deixar de lado a dificuldade de jogar tendo que lidar com os ruídos de aviões de grande porte e o efeito causado nas bolas de golfe por conta dos pousos e decolagens.

don Mueang aeroporto tailandia aviao

don Mueang aeroporto tailandia aviao3

Por incrível que pareça, o campo não possui nehum tipo de separação entre as pistas.  A única restrição é um aviso luminoso indicando quando não é possível se locomover (por conta do trânsito de aeronaves). Atualmente, o acesso se tornou mais restrito devido a medidas de segurança e pelo aumento de tráfego de aviões (o que impressiona pelo fato de não ser restrito há tempos atrás)

À direita, sinalização para prosseguir

À direita, sinalização para prosseguir

Fonte:

Popular Mechanics 

Tee Times

Airport Data

Capa infográfico semáforo pedestres

Recentemente a cidade de São Paulo ganhou um semáforo de pedestres com um aspecto diferenciado: Ele presta homenagem ao Monumento às Bandeiras, um ponto turístico próximo ao Parque do Ibirapuera, na zona sul da cidade.

Continue lendo

A tarefa de construir um aeroporto não é fácil: o local, independente de onde se encontra, precisa de um espaço amplo, muito chão para pousos e decolagens e uma ótima visibilidade. Mas muitas vezes certas localidades não permitem tais condições. É aí que os engenheiros precisam desenvolver métodos para que o aeroporto ofereça o máximo de segurança para os pilotos e os passageiros. Eis alguns exemplos no mundo:

Kansai (Osaka, Japão) 

kansai aeroportoTipo: Internacional | Número de pistas: 2 | Deslocamento de aeronaves: 107,791 | Deslocamento de passageiros: 17,054,237

Terra firme é um recurso escasso no Japão. Para resolver esse problema, foi construída a quase 5 km da costa da baía de Osaka uma estrutura colossal. A construção foi iniciada em 1987, e por volta de 1994 grandes aviões já estavam presentes. Os passageiros podem chegar ao aeroporto até a ilha principal (Honshu) de carro, trilhos ou até mesmo balsa de alta velocidade. Terremotos, ciclones e o mar agitado foram algumas das dificuldades encontradas durante sua construção. No final, a “ilha artificial” é tão grande que é possível vê-la do espaço.

kansai espaço

Na áerea em destaque, o aeroporto visto de um satélite

kansai aeroporto skygate

Skygate, a ponte de ligação entre a terra firme e a ilha. A parte de cima é reservada aos carros, enquanto a parte de baixo é destinada aos trens

O aeroporto tinha que cumprir duas exigências bem específicas: por um lado técnico, tinha que seguir as regulamentações técnicas sobre prevenção de tsunamis e terremotos. Por um lado operacional, tinha que ser capaz de receber mais de 100.000 passageiros por dia. O fato de toda a estrutura ser localizado no mar possibilita que o aeroporto funcione 24 horas por dia. Além disso se tornou uma importante rota para o Japão e sudeste da Ásia. A ilha é conectada à costa por uma ponte de dois níveis com comprimento de 3,75 km. O nível de cima contém uma estrada, enquanto o nível inferior possui duas linhas de trilhos.

A estrutura

A plataforma representa um grande feito da engenharia civil. Ela permanece em cima de mais de um milhão de colunas de suporte. Essas colunas estão mergulhadas 20 metros abaixo do mar e mais 20 metros em uma camada de lama. Abaixo disso também estão inseridas 40 metros de rocha. O fato da camada de lama continuar se deslocando de uma forma irregular também foi estudado: para solucionar esse problema, uma série de sensores especiais foi usada para detectar quando a camada se desloca para um ponto que excede a tolerância (10 mm). Cada coluna é equipada com um sistema de calibragem, que aplica o uso de um poderoso macaco hidráulico: sempre que a posição da coluna é corrigida, o sistema a ajusta e trava em sua nova posição.

Dentro do aeroporto

Fonte:

Popular Mechanics

Fondazione Renzo Piano

 

%d blogueiros gostam disto: