Archive for dezembro, 2013


champanhe-estourando

Todos já estamos acostumados com a clássica visão da celebração do Ano Novo: Vários fogos de artifício, shows e a famosa contagem regressiva nas principais cidades do Mundo (Nova York, Sydney, Rio de Janeiro…). Entretanto, nem todos os lugares celebram assim. Em algumas regiões específicas, os costumes podem adicionar muita variadade na celebração. Aproveite o clima de comemoração e conheça algumas tradições (estranhas) em outros países e comemore na próxima vez que for viajar!

Irlanda – Folhas de visco são colocadas no travesseiro

folhas-de-visco

As mulheres solteiras na Irlanda esperam para a noite de Ano Novo para aguardar a chegada do seu amor verdadeiro. As folhas de visco é colocada embaixo do travesseiro na esperança que no próximo ano seja possível encontrar seu futuro marido. Além disso também acredita-se que o visco ajuda a se livrar do azar. Detalhe que o visco também é usado na cultura norte americana (simbolizando um beijo para o casal que estiver presente abaixo da planta).

Dinamarca – Quebra de pratos (na porta dos vizinhos)
pratos-quebrados-dinamarca

Nessa época do ano, quebrar pratos, copos, vidros e outros utensílios de cozinha na porta dos vizinhos (estranhamente) os deixam contentes: A família com o mais número de objetos quebrados é considerada com mais sorte por ter os amigos mais leais.

México – Conversas com espíritos
mexico-celebracao-espiritos

No México, conversar com espíritos já faz parte da cultura e costumes locais: Os mexicanos acreditam fielmente que podem se comunicar com a alma dos seus entes queridos (Sua celebração, o Dia dos Mortos é comemorado em 2 de Novembro). A Noite de Ano Novo é considerada a melhor época para se comunicar com aqueles que já se foram para transmitir uma mensagem pedindo por orientação. Essa prática não é feita em casa, ou individualmente: vários estabelecimentos oferecem “sessões” de comunicação com a espiritualidade e meditação.

Filipinas – Formas redondas nas roupas e comida
circulos-bolinhas-roupas

A regra no Ano Novo é usar tudo que possa ser redondo: As ruas ficam cheias de pessoas usando roupas com estampas de bolinhas ou qualquer outra forma circular. Além disso, as refeições são compostas por frutas e ingredientes com formatos redondos. Os locais acreditam que isso irá trazer prosperidade, pois eles associam as formas arredondadas com moedas e riqueza.

Escócia – Festival de fogo
Hogmanay-Festival-escocia

O Hogmanay Festival, um perigoso festival que ocorre sempre no último dia do ano, envolve uma passeata de várias pessoas que cruzam as ruas segurando bastões com bolas de fogo. Elas ficam girando os bastões várias vezes sobre a cabeça para trazer purificação e iluminação. De acordo com os locais, essa celebração é quase tão antiga quanto os vikings (por esse motivo o festival é celebrado de forma temática, com várias tradições e cantorias).

Alemanha – O mesmo programa de tv todos os anos
dinner-for-one-seriado

Para quem achava que o Brasil era o único país com suas programações de tv repetidas (com os mesmos shows de Roberto Carlos todo ano), a Alemanha possui um equivalente (ou quase). Já é costume no país assistir o mesmo programa de tv em toda noite de Ano Novo. O “Dinner for One” é um sketch  humorístico inglês desenvolvido para o teatro, e mais tarde lançado na tv em 1963, que conta a história de uma senhora que tem o mesmo tipo de jantar todo ano. Na Alemanha, virou costume assistir desde 1972, e não parou desde então (virando um programa praticamente integrado nos horários de vários canais de televisão).

Holanda – Canhões de balde de leite
canhão-escocia-ano-novo

Uma vez por ano, vários holandeses enchem baldes de leite com carboneto e água, martelam a tampa (selando o balde) e esquentam com uma tocha. A mistura química resulta num “canhão caseiro” que explode para celebrar o Ano Novo. O ritual foi criado antigamente para espantar maus espíritos e foi mantido desde então.

Fontes:
Smashing Lists
Cracked

Anúncios

foto-matéria-wp

Às vezes os filmes conseguem nos envolver tanto que não percebemos que vários deles se passam no mesmo local (isso sem contar as técnicas de ambientação, iluminação e cenários, que podem distrair até mesmo os olhos mais atentos. Assim como atores, certas locações costumam ter um alto valor quando se vai gravar um filme. Continue lendo

paisagem-hibiscus-amarelo-hawaii

Já reparou num certo tipo de flor que (quase) sempre é mostrado como relacionado ao Hawaii? O Hibiscus amarelo é definido como a flor oficial do estado do Hawaii, mas nem foi sempre assim. Sua origem é bem mais antiga: As erupções vulcânicas que ocorreram há milhares de anos (e que formaram as ilhas do Hawaii) contribuíram para a formação da fauna e flora que se desenvolveram na região. Vista desde Honolulu até Waikiki, é uma planta ornamental muito popular no ramo de jardinagem e usada em várias culturas, com vários usos. Pode ser encontrada facilmente em regiões de climas quentes (especialmente tropicais e subtropicais).

História

hibiscus-vermelho-hawaii

Antigamente, a versão vermelha da flor era considerada a oficial do Território do Hawaii

Também chamado de Pua Aloalo ou ma’o hau hele na língua nativa, sua imagem acabou se tornando sinônimo de “Beleza delicada”: Esse termo se originou na Inglaterra em sua Era Vitoriana, quando as variedades de flores eram muito poucas e espécies tropicais, como o o Hibiscus, eram extremamente raras. Além disso, a flor requer um clima e condições precisos para florescer, o que fortaleceu seu apelido.

A espécie foi adotada em 1923 pelos habitantes locais como flor oficial do então Território do Hawaii (apesar de ter se tornado um estado norte americano só em 1959). Quando se estava próximo a união aos Estados Unidos, a Assembléia Legislativa do Estado adotou vários símbolos, como parte da revisão de estatuto do Hawaii.

Porém, foi somente em 6 de Junho de 1988 que o Hibiscus vermelho (até então símbolo oficial) foi trocado pelo amarelo (única espécie dessa tonalidade) e eleito como a flor oficial do estado. É por isso que as flores de outras cores, ou semelhantes, são mostradas em fotos e algumas publicações antigas. Também é possível ver variações de Hibiscus nas famosas camisas, roupas de banho e pinturas.

padroes-hibiscus-hawaii

Quem nunca viu esses padrões em produtos havaianos?

dancarina-hula-vintage-antiga-flor

Durante na metade do século 20, foi realizada uma enorme campanha para promover o turismo no Hawaii: As palavras ‘Aloha‘ e ‘Malaho‘ foram se tornando cada vez mais populares, e o costume de usar uma flor – não necessariamente a amarela – atrás da orelha estava se popularizando (se uma mulher a usasse na orelha direita, significava que estava solteira. Caso usasse na esquerda, estava comprometida)

Na cultura havaiana, é também um antigo símbolo de realeza e transmite poder e respeito. É normalmente dada a visitantes, oficiais de estado e turistas. O Hibiscus também é usado para fazer chá (contém vários antioxidantes que auxiliam a baixar o colesterol e reduzir a pressão arterial), produtos para cabelo e até fabricação de papel.

Uma flor para cada Ilha

Existe também uma certa controvérsia em relação às flores no Hawaii: Muitos locais defendem que diferentes flores (e cores) são usadas para representar diferentes ilhas. Como muitas ilhas queriam – e agiam – como estados independentes, foram definidas algumas regras para representar cada uma na década de 50:

Oahu
Flor Oficial – Ilima
Cor Oficial – Amarelo

Flor muito popular para fazer leis (os famosos colares havaianos). Cada flor tem cerca de 2,5 cm de diâmetro e se parecem com pequenos hibiscus. Os primeiros habitantes usavam essa planta de várias maneiras: O suco extraído da planta era dado às crianças, era considerado remédio para várias doenças e mulheres grávidas comiam a flor até o nascimento do bebê.
Hawaii (ou Big Island)
Flor Oficial – Lehua Ohia
Cor Oficial – Vermelho

É a flor da árvore nativa de mesmo nome. As flores podem também ser laranjas, amarelas ou brancas (e também é utilizada para fazer leis). Dizem que a Lehua é sagrada, pois representa Pele, a deusa havaiana dos vulcões.
Kauai 
Flor Oficial – Mokihana
Cor Oficial – Roxo

A Mokihana na verdade não é uma flor: É um fruto verde que nasce somente nas encostas do Monte Waialelae. Com cheiro semelhante a erva-doce, são usados amarrados como contas e como diferentes tecidos.
Maui
Flor Oficial – Lokelani
Cor Oficial – Rosa

Também chamada de Pink Cottage Rose (ou “rosa de chalé”), foi trazida por volta dos anos de 1800. É valorizada por cultivadores por sua beleza e fragância. A Lokelani é a única planta não nativa que foi reconhecida como oficial de uma das ilhas do Hawaii.
Molokai
Flor Oficial – Kukui
Cor Oficial – Verde

Também muito popular nessa ilha para fabricação dos colares (Leis)
Lanai
Flor Oficial – Kaunaoa
Cor Oficial – Laranja

Os finos fios da videira (os arbustos onde nascem as flores) são torcidos para a fabricação dos colares Le
Niihau 
Flor Oficial – Concha de Pupu
Cor Oficial – Branco

Essa “flor” oficial é encontrada na costa da Ilha rochosa. As pequenas conchas brancas normalmente são usadas para fabricação de colares e outras jóias nativas havaianas.
Kahoolawe  
Flor Oficial – Hinahina
Cor Oficial – Cinza

Apesar dessa ilha não ser habitada (pela falta de acesso à água doce), ela também possui sua flor oficial. De coloração cinza-prateada, suas flores e caules são usados para a fabricação de colares.

Fontes:
Examiner
Aloha Hawaii
Proflowers
The Flower Expert

bicicleta-amsterdam-holanda

Não há como negar que, se você é um amante de bicicletas (seja ciclista profissional ou apenas por hobby), a cidade de Amsterdã, na Holanda, está em primeiro lugar na lista quando o assunto é pedalar em vias urbanas. Para quem deseja vivenciar a cidade como um cidadão local, não existe meio melhor que esse.

Amsterdã possui uma altíssima porcentagem de ciclistas. Para se ter uma ideia: Estatísticas apontam que, em uma área de aproximadamente 750 mil pessoas,  até 600 mil bicicletas acabam circulando, seja passando pelas cafeterias lotadas, ou atravessando os famosos canais da cidade. Recentemente, mais medidas foram adotadas para facilitar o tráfego de bicicletas, como: redução do limite de velocidade para carros, novas rotas, faixas exclusivas e semáforos especiais e até mesmo estacionamentos subterrâneos exclusivos para ciclistas. Por conta disso, é consideradas uma das cidades mais seguras para esse tipo de passeio.

Alugar uma bicicleta é uma das tarefas mais fáceis: A maioria têm um visual mais antigo e de apenas uma marcha. É possível obter um mapa exclusivo para esse tipo de atividade em postos turísticos. Eles informam as rotas mais seguras, oficinas e áreas restritas. A seguir, algumas inovações que a cidade oferece:

Estacionamento subterrâneo
A cidade possui 200 mil vagas oficiais para bicicletas. Por conta disso, vários tipos de estacionamentos já foram criados (desde a parte superior de prédios até barcos), e estão em constante mudança. Um dos mais eficientes são os estacionamentos subterrâneos: alguns são tão grandes que podem abrigar até 10 mil bicicletas
 
Faixas exclusivas
A prioridade dada às bicicletas começou em 1978, com um “plano de circulação” do governo que deu preferência a construção de vias separadas, para manter distância dos veículos. Normalmente sinalizadas de vermelho ou roxo, hoje o total de faixas e vias dedicadas às bicicletas é de 767 km.
 
Semáforos
Assim como uma via com carros, existem os semáforos exclusivos para ciclistas. Para ativá-los, deve-se apertar o botão e aguardar o sinal mudar de cor.
 
Escadarias e rampas adaptadas
Como a bicicleta já faz parte da cidade, várias instalações possuem “trilhos” junto às escadarias para facilitar a movimentação dos pedestres que carregam suas (e evitar o incômodo de carregar mais peso ou atrapalhar as pessoas)
 

Eventos de bicicleta pela Holanda

Amstel Gold Race Amstel-gold-race-holanda

Essa corrida começou  em 1966, com os primeiros organizadores sendo patrocinados pela cervejaria Amstel (que pertence à Heineken). Desde então, a companhia está presente nesse evento, que é considerado o mais importante evento ciclístico da Holanda. Geralmente realizado em Abril, a corrida apresenta os melhores ciclistas internacionais que percorrem o caminho traçado quase que totalmente pela província de Limburgo.

Limburgs Mooiste Limburgs-Mooiste-holanda É considerada a versão da Amstel Gold para turistas. Ocorre no primeiro fim de semana após o Pentecostes (ou seja, sete semanas após a Páscoa) e oferece vários tipos de rotas para diferentes “modalidades”: Duas rotas de 100 km (uma mais montanhosa e outra mais neutra) e uma rota de 150 km, mais desafiadora. Além disso, há também a “family tours” (ou passeios em família) que ocorrem simultaneamente: Apropriadas para qualquer idade, têm 30 km de extensão. Todas as rotas começam e terminam no Avantis Business Park, que cruza a fronteira com a Alemanha.

4 Days Cycling the Achterhoek 4Days-Cycling-the-Achterhoek-holanda Traduzido como “4 dias pedalando em Achterhoek, é um evento anual onde os ciclistas percorrem distâncias de 25 a 59 km, passando por castelos, moinhos, florestas e fazendas. O nome da região (Achterhoek) pode ser traduzido como “canto traseiro” ou “canto de trás”. É uma descrição geograficamente apropriada, pois se localiza na parte extrema do leste do território holandês.

Fontes:
Holland
Gadling

%d blogueiros gostam disto: