Quando falamos em Hawaii, o surf é uma das associações mais imediatas que nos vêm a cabeça. Isso não acontece à toa: Sendo o berço do esporte, os descendentes do povo havaiano, os polinésios, são considerados por muitos pesquisadores os inventores dessa prática radical.

Apesar de ser restrito à apenas líderes, surfar não era somente um passatempo. O esporte servia como um treinamento para manter os chefes em ótimas condições físicas. Ainda mais, servia também como resolução de conflitos: membros da nobreza testavam suas habilidades em competições acirradas, em que suas riquezas e bens eram colocadas em jogo. Porém toda essa tradição e misticismo se foi com a chegada do homem branco. Os exploradores não tinham respeito pelos costumes, que, por causa da imposição da cultura ocidental, logo já estariam sendo esquecidos. Forçados a se adaptar ao novo estilo de vida, os nativos foram perdendo contato com suas tradições, e a prática do surf logo entrou em declínio.

O nome completo do surfista: Duke Paoa Kahinu Mokoe Hulikohola Kahanamoku

O nome completo do surfista: Duke Paoa Kahinu Mokoe Hulikohola Kahanamoku

Entretanto, esse cenário começou a mudar com  Duke Kahanamoku: nascido em 1890 em Waikiki, ele é considerado o “pai do surfe”. Junto com mais amigos, ele formou o primeiro clube de surfe conhecido como “Beach Boys de Waikiki”. Conhecidos por reviver a prática do surfe, eles conseguiram tirar toda a proibição e medo imposta por missionários da época. Duke se tornou um campeão olímpico nadador, conquistando três medalhas de ouro e duas de prata. Graças à sua popularidade, a prática do surf foi se espalhando pelo Hawaii, e logo em todos os Estados Unidos (mais tarde, atraindo até a atenção de Hollywood). Em 1915, ele viajou até a Austrália, onde introduziu o esporte ensinando suas técnicas e como construir pranchas.

Duke morreu aos 78 anos e até hoje é lembrado como um dos símbolos do Hawaii e um dos maiores surfistas do mundo. Hoje, os australianos são considerados um dos mais habilidosos da atualidade, e o esporte (junto com o Hawaii) é reconhecido internacionalmente.

O Hang Loose (chamado também de Shaka), gesto muito usado entre surfistas, também têm suas origens no Hawaii: a teoria mais aceita é de que o inventor do gesto foi Hamana Kalili, um pescador da cidade de Laie que perdeu os três dedos médios durante um acidente em um moinho de açúcar. Como ele não podia mais trabalhar no moinho, se tornou segurança do trem que transportava açúcar de Sunset Beach à Kaaawa. Como estava sempre tentando impedir que crianças viajassem no trem clandestinamente, essas crianças começaram a usar esse gesto para comunicar entre si sobre a presença de Hamana.

O Hang Loose (chamado também de Shaka), gesto muito usado entre surfistas, também têm suas origens no Hawaii: a teoria mais aceita é de que o “inventor” do gesto foi Hamana Kalili, um pescador da cidade de Laie que perdeu os três dedos médios durante um acidente em um moinho de açúcar. Como ele não podia mais trabalhar no moinho, se tornou segurança do trem que transportava açúcar de Sunset Beach à Kaaawa. Como estava sempre tentando impedir que crianças viajassem no trem clandestinamente, essas crianças começaram a usar esse gesto para comunicar entre si sobre a presença de Hamana.

Fonte: Club of the Waves