O mercado cinematográfico têm várias maneiras de divulgação de filmes. Uma delas é a utilização de destinos turísticos para promover filmes. Em alguns casos o sucesso é inesperado, e a localização acaba se tornando uma espécie de identidade. Em outros, existe uma parceria do governo local e a indústria para alavancar o orçamento (e o rendimento da obra). Esse segundo caso é o que aconteceu com a franquia O Senhor dos Anéis.

O diretor dos filmes, Peter Jackson, nasceu na Nova Zelândia e cresceu numa região próxima à capital, Wellington. Isso acabou influenciando a decisão de filmar praticamente todas as cenas da trilogia em seu país.  Além disso, várias empresas responsáveis pelos efeitos e pós produção também estão localizadas por lá. Antes de O Senhor dos Anéis, o país era considerado uma opção “amadora” para a indústria. Mas após os lançamentos do filmes, esse cenário mudou. O impacto dos filmes foi imenso (Para se ter uma ideia, O Retorno do Rei, por exemplo foi um dos 3 filmes no mundo que já ganharam 11 estatuetas do Oscar.)

Montanhas nova zelandia

A seguir, alguns locais que se tornaram marcantes por conta das cenas dos filmes:

Condado Shire

O cenário rural de Hinuera, situado em Waikato, foi usado para filmar as cenas do Condado, lar dos Hobbits, no final de 1999 e começo de 2000. Apesar de não ter sobrado muitos elementos do set original, ainda existem algumas casas temáticas e partes das cenas filmadas.

2

Regiões de Wellington também foram usadas no começo do primeiro filme

O rio Rangitikei, um dos mais longos da Nova Zelândia (com 185 km de extensão) foi transformado no filme em rio Anduin. Também foi palco de uma das cenas de ação no filme e usado em outras cenas marcantes

4 3

5

Fernside Lodge (Ou alojamento Fernside), foi transformado no filme em Lothlorien, terra dos elfos

Agora, com mais um filme lançado em 2012 e mais dois garantidos (baseados também na obra anterior de J. R. R. Tolkien, este destino tem tudo para continuar chamando a atenção de muitos visitantes

Anúncios