Lembro de noticiários dizendo que Amy Winehouse passou meses em Santa Lúcia!!
Isso me fez imaginar uma ilha repleta de bares e boates. De fato, há efervescente vida noturna.
A cantora, porém, foi em busca de descanso e beleza. Achou. Santa Lúcia tem, segundo muitos, a vista mais linda do Caribe. E esse terraço natural são os picos Gros Piton ePetit Piton.
Para os casais, essa mistura de verde e mar pode ser o cenário perfeito para a lua de mel dos sonhos.
“As montanhas abruptas e o mar, ter isso todos os dias é uma bênção.” Palavras do escritor santa-lucense Derek Walcott, prêmio Nobel de 1992.
Além da natureza exuberante, a ilha é famosa pela charmosa capital Castries e alguns dos melhores hotéis do planeta. Um brinde à escolha de Amy!
Mais de um terço dos moradores de Santa Lúcia — eles dizem “Saint Lútia” — mora na capital, Castries. Ela foi construída numa ilha com vulcões aposentados, que não tem nada de inativa e foi feita para circular a pé.
Tudo fica próximo: o Centro, as mansões, o comércio de luxo e o animado mercado público.
Quem precisa de carro? Para rumar para as praias próximas foi criada uma prática solução caseira: as lanchas-táxi. 
Uma das principais atrações da capital é sem dúvida a mescla das influências britânicas e francesas. A Catedral Imaculada Conceição na Bourbon Street faz parte da influencia inglesa e de quebra, fica na praça mais bonita da cidade, a Derek Walcott.
O que você deve saber:
• Nas proximidades de Soufrière, há águas sulfurosas, graças ao Vulcão Qualibou
• A moeda local, o dólar caribenho ocidental, é só uma das estranhices da ilha. Outra delas é o idioma Kwéyól, o segundo mais falado. Mas comunicar-se em inglês, francês e até em espanhol não é problema. 
• Embora as pousadas mais caras estejam na área de Soufrière, a rede de resorts, fica entre Castries e Rodney Bay. 
• Um programa legal é cavalgar em Marquis Bay, onde está a maior propriedade de Santa Lúcia.
 • Nas noites de sextas-feiras, em Islete Gros, os moradores promovem festas com música caribenha e muita salsa.
 • Existem diversas casas noturnas animadas na ilha: The LimeBackDoor&Indies,Café Panache Annex, entre outras.
Como Chegar:
Há vôos via Estados Unidos, voando Delta Airlines ou American Airlines, lembrando da necessidade do visto americano.
Não Perca: 
– Visite a ilha toda de bicicleta , existem opções para ciclistas iniciantes e também para os mais experientes. 
– Observação de baleias e tartarugas: são aproximadamente 20 espécies de baleias que visitam a ilha ao longo do ano e as tartarugas são abundantes na ilha, devido à proteção ambiental local.
Compras:
– Pointe Seraphine, zona livre de impostos, com várias lojas de perfumes, cristais, jóias, e roupas, assim como artesanato local (trabalho em madeira). 
– La Place Carenage, em Castries, e J.Q. Mall, em Rodney Bay, também são áreas livres de impostos.
– Artesanato: Casa Caribelle, aprecie os artesãos fazendo tapetes estampados e pinturas enquanto faz as compras na boutique exótica do local.
– Na Rede Sandals, o mergulho está incluído, porém os passageiros terão que portar o certificado de mergulho internacional. Terão a estrutura da PADI localizada no hotel, com equipamento necessário e instrutores diariamente (exceto no dia da chegada e da saída por conta da pressurização do avião).
Anote
Aeroporto: Aeroporto Internacional de Hewanorra, em Vieux (UVF)
Capital: Castries
Moeda: Dólar caribenho oriental (1 dólar americano equivale a 2.70 dólares caribenhos orientais)
Idioma: Inglês
Visto: Sim, o visto americano, devido à conexão nos Estados Unidos
Vacinas: Febre amarela
Código de telefone: 1 758
Eletricidade: 220V
Melhor época para viajar: Temperatura média anual de 22 a 29ºC, sendo que no segundo semestre pode haver a visita de furacões. A época de chuvas vai de maio a agosto.